15







VOCÊ PRONUNCIA CORRETAMENTE OS NOMES DIVINOS?

      Será um pecado não pronunciar devidamente os nomes do Todo-Poderoso e de Seu Filho? As possíveis origens pagãs dos nomes “Deus” e “Jesus” tornam a utilização de tais nomes inapropriada? Se sua Bíblia não traz os “nomes corretos”, deve trocá-la? Neste artigo em duas partes você terá respostas eruditas e precisas para estas indagações.

Autor: David B Loughran
 Stewarton Bible School, Stewarton, Escócia.
Julho 1998 ... Atualizado: Dezembro 1999
http://atschool.eduweb.co.uk/sbs777/vital/snames.html

Tradução: Adail Muniz Retamal (adailmr@uol.com.br)

Nomes Sagrados – Parte 1

YHVH / Jeová / SENHOR / Yahovah / Yahweh

        EL SHADDAI (Deus Todo-poderoso) é o título do Todo-poderoso Pai de nosso Salvador Jesus Cristo.
O tetragrama IHVH, traduzido como Jeová, ou SENHOR na Versão King James Autorizada, é variadamente escrito como Yahweh (Javé), ou Yahovah nos artigos da Escola Bíblica de Stewarton (EBS), na Escócia. Este nome é utilizado pelo Pai e algumas vezes pelo Filho, que veio no nome do Pai; assim como o meu nome ‘Loughran’ pode ser usado por mim mesmo e por meu filho Kurt. Nós, em Stewarton, usamos o nome Jeová, Yahweh (Javé) ou Yahovah em referência particular ao Pai. Várias ortografias em inglês são utilizadas simplesmente porque ninguém pode estar absolutamente certo sobre como pronunciar o nome sagrado.
        O nome IHVH (Jeová) aparece mais de 6.500 vezes no Antigo Testamento hebraico!

* Na Versão King James Autorizada, IHVH é geralmente traduzido como SENHOR. Note as letras maiúsculas do início ao fim. Entretanto, nos sete textos seguintes o nome Jeová é usado:
* Gn 22:14: “E Abraão chamou o nome daquele lugar de Jeová-Jiré: como é dito até o dia de hoje, No monte do SENHOR se proverá.”
* Êx 6:2-3: “E Deus falou a Moisés, e disse-lhe: ‘Eu sou o SENHOR. Apareci a Abraão, e a Isaque, e a Jacó, pelo nome de Deus Todo-poderoso, mas por Meu nome JEOVÁ não fui conhecido a eles.’”
* Êx 17:15: “E Moisés edificou um altar, e chamou o seu nome de Jeová-Nissi...”
* Juízes 6:24: “Então Gideão edificou ali um altar ao SENHOR, e chamou-o Jeová-Shalom. Ainda até ao dia de hoje está o altar em Ofra, dos Abiezritas.”
* Sl 83:18: “Para que os homens saibam que Tu, cujo nome é JEOVÁ, és o Altíssimo sobre toda a terra.”
* Is 12:2: “Eis que Deus é a minha salvação; confiarei e não temerei, porque o SENHOR JEOVÁ é a minha força e o meu cântico; Ele também tornou-Se a minha salvação.”
* Is 26:4: “Confiai no SENHOR perpetuamente, porque no SENHOR JEOVÁ está a força eterna.”

        O nome Jeová (Yahweh, Yahovah) engloba todos os acima. Mas o nome sagrado é muito mais do que um som particular ou uma questão de ortografia e pronúncia corretas. O nome Yahovah significa o caráter do Todo-Poderoso, Sua Palavra, Sua Lei, Seus Propósitos, Sua Obra e Sua Família. Atualmente existe muita disputa sobre o assunto dos nomes sagrados; mas não temos nenhum desejo de argumentar. Lembre-se que o Terceiro Mandamento proíbe a humanidade de tomar o nome do Senhor em vão. Infindáveis argumentos podem bem resultar na quebra deste mandamento.
        Os judeus, por outro lado, consideram um sacrilégio até mesmo expressar o nome sagrado, aconselhando que usemos títulos tais como Senhor, Mestre do Mundo, O Todo-poderoso, O Nome, etc. Mas o Terceiro Mandamento não proíbe o uso do nome de Deus. Ele simplesmente proíbe ‘tomar Seu nome em vão’. Note a diferença. A palavra ‘vão’ significa ‘o vazio da vaidade e falsidade auto-enganadoras.’ Em outras palavras, aos crentes é permitido expressar ou escrever o nome sagrado do Altíssimo; mas devemos fazê-lo com reverência, e certamente não para demonstrar nosso conhecimento. Como mencionado acima, os nomes sagrados aparecem nas Escrituras Hebraicas (o Antigo Testamento) mais de 6.500 vezes! Assim, não pode ser um sacrilégio expressar o nome ao lermos as Escrituras em voz alta ou quando escrevemos sobre o Altíssimo.
        A Concordância de Strong tem a seguinte nota para o verbete “LORD” (SENHOR):

03068 Y@hovah  IHVH
AV – SENHOR 6510, DEUS 4, JEOVÁ 4, variant 1; 6519

Jeová = “o Eterno”
1) o nome próprio do único e verdadeiro Deus
1a) impronunciável, exceto com a pontuação vogal de 0136

Deus / El

        O Dicionário de Oxford, verbete “God”, define a palavra Deus como o Criador e governante do universo no ensinamento cristão, judeu e muçulmano. E é isto o que nós, na EBS, queremos dizer quando usamos a palavra. Existem diversas palavras hebraicas traduzidas como ‘Deus’ na Bíblia. São elas:

* El:                    o Todo-Poderoso, Deus
* Elah:                um objeto de adoração, Deus
* Elohim:            um objeto de adoração, Deus
* Eloah:              um objeto de adoração, Deus

Senhor

        Como mencionado anteriormente, o tetragrama IHVH é traduzido na Versão King James Autorizada como SENHOR (letras maiúsculas) em 6510 vezes das 6519 em que aparece nas Escrituras Hebraicas. Os estudantes notarão que o nome/título Senhor (‘S’ inicial maiúsculo e ‘enhor’ minúsculo) também aparece no Antigo Testamento. Esta palavra ‘Senhor’ também significa Deus. É traduzida do Hebraico Adonai que aparece 434 vezes no Antigo Testamento.

        A Concordância de Strong tem a seguinte nota para o verbete “Lord” (Senhor):

0136 'Adonay
AV – Senhor 431, senhor 2, Deus 1;434

1) meu senhor, senhor
1a) do homem
1b) de Deus
2) Senhor – título, falado no lugar de Yahweh na demostração judaica de reverência

        Disto podemos ver que o título Senhor é também uma forma reverente de se referir a Adonai (Deus).

Jesus / Yeshua / Y’shua / Yahshua

        Jesus é a tradução Grega do nome Hebraico Yeshua, ortografado variadamente como Y’shua, Yahshua, Yahoshua ou Joshua. Em muitos de nossos escritos usamos a forma Grega comumente conhecida Jesus, assim as pessoas saberão de quem estamos escrevendo; porque o nome Yeshua não é geralmente conhecido entre os crentes de fala inglesa (e nem portuguesa).  Mas notará que freqüentemente usamos a forma Hebraica original Yeshua ou Yahshua. Este nome significa ‘a Salvação de Yahweh.’ Em outras palavras, ‘Yeshua é o agente ou o meio de salvação de Yahweh’. Ele é Jeová em Seu papel como Salvador. O Evangelho de Mateus diz: “e chamarás Seu nome Jesus, porque Ele salvará o Seu povo dos seus pecados.” (Mt 1:21). Alguém pode também argumentar extensamente sobre as pronúncias e ortografias do nome do Salvador; mas deixamos isto para outros. Cada pessoa precisará decidir por si própria. Afinal, muito poucos crentes gentios conhecem hebraico.

Emanuel

        O nome do Salvador é também Emanuel, que significa ‘Deus (Yahweh)  é conosco’:

        Mt 1:23: “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel, que sendo interpretado é Deus conosco.”

        Nós, na EBS, freqüentemente usamos o nome Emanuel. Também usamos o título Cristo, que significa “o Ungido, o Messias”. Quando usamos o nome Jesus, ou o Hebraico ‘Yeshua’ ou ‘Yahshua’, queremos dizer o Messias, o Filho Unigênito do Altíssimo, que derramou Seu sangue-vida no Calvário para salvar a humanidade da aniquilação.
        Quando usamos o nome e o título completos do Salvador, Senhor Jesus Cristo, queremos dizer o SENHOR (Deus) na pessoa de Jesus (Yeshua) o Cristo (o Messias).

Pronúncia

        Como mencionado anteriormente, ninguém pode estar absolutamente certo de estar pronunciando corretamente o nome sagrado. Um nome é um substantivo, uma palavra ou frase curta pela qual uma pessoa ou coisa é conhecida. Nomes comuns (isto é, homem, esporte, animal, etc.) são usados para toda uma classe ou grupo de coisas. Nomes próprios (isto é, Loughran, Escócia, África) são nomes de pessoas ou lugares em particular. Alguns nomes próprios possuem significados; muitos não. Meu nome, ‘Loughran’ por exemplo, não possui um significado especial; embora para mim ele represente meu caráter, minha família, minha reputação e minha palavra de honra. Todavia, o nome próprio ‘Loughran’, quanto eu saiba, não tem nenhum significado em particular.
        Um nome é–o quanto possível–pronunciado da mesma forma em todas as línguas. Contudo, pessoas de diferentes nações podem pronunciar mal meu nome, dependendo de como se vocaliza as letras “L-O-U-G-H-R-A-N.” Mas eu reconheço este fato. Isto não me perturba. Sei a quem elas se referem; embora geralmente eu sorria quando ouço meu nome mal pronunciado por outros–especialmente estrangeiros. Da mesma forma, quando se pronunciam os nomes sagrados Yahova, Yahweh ou Yeshua. Duvido muito que os crentes gentios, mesmo nos dias de hoje, possuam a pronúncia absolutamente correta; conquanto alguns declarem que possuem. Estou, entretanto, certo de que o Altíssimo e Seu Filho sabem a quem nos referimos quando pronunciamos bem ou mal Seus nomes.

IHVH (ou YHWH)

        Notem como eu omiti as vogais ‘a’ e ‘e’. Todas as letras no alfabeto hebraico são consoantes, isto é, letras que não as vogais. Os sons vocálicos (a, e, i, o, u) são representados no hebraico escrito por pontos e traços, chamados ‘pontos-vocálicos’, ou simplesmente ‘pontos’. De forma a ajudar as pessoas de fala inglesa (e portuguesa) que ficariam, de outra forma, incapazes de pronunciar as quatro consoantes IHVH (chamado de tetragrama), as vogais ‘a’ e ‘e’ são inseridas no nome sagrado. Mas os escritores inspirados originais apenas escreviam ‘IHVH’, ou, em vez disso, os equivalentes em hebraico a essas letras. As letras IHVH são uma transliteração ou representação dos quatro caracteres originais hebraicos.
        Mas como se pronuncia o tetragrama IHVH?
        Como mencionado anteriormente, mesmo as autoridades nascidas de sangue hebraico diferem no assunto da pronúncia, simplesmente porque somente séculos depois que as Escrituras originais foram escritas pelos profetas é que os pontos-vocálicos do hebraico foram introduzidos para ajudar na pronúncia. Em vista destes fatos penso que nós gentios deveríamos permanecer em silêncio, pois quanto mais escrevemos a respeito da ortografia e pronúncia hebraicas, mais ignorantes iremos parecer ao povo de fala hebraica. Um pequeno conhecimento pode ser uma coisa perigosa.

É Pecado?

        Isto me leva a uma pergunta extremamente importante: É pecado usar o título SENHOR ou o nome JESUS?
        Alguns grupos implicantemente ensinam que sim. Nunca usam este título ou nome em seus escritos. Eles ensinam que se você tem uma Bíblia que usa palavras como SENHOR, Senhor ou Jesus Cristo, então troque-a, porque, dizem eles, a palavra ‘Senhor’ é um título pagão e ‘Jesus’ é o nome de um deus grego. Até a palavra ‘Deus’, afirmam, é o nome de uma divindade pagã. É, então, um pecado (acreditam) chamar ao Altíssimo de SENHOR Deus, ou ao Salvador de Jesus! Esta mensagem nos sobrevem fortemente quando lemos seus escritos.
        Outros, principalmente os judeus, acreditam que é um sacrilégio usar o nome sagrado, não importa como ele seja pronunciado. Em vez disso, aconselham, devemos dizer SENHOR, Adonai ou Senhor Deus.
        Está correto qualquer desses dois pontos de vista diametralmente opostos?--um afirmando que nunca devemos usar os títulos SENHOR, Senhor, Deus, etc., mas os nomes Yahweh, Yahshua, Yeshua, etc., no lugar; e o outro dizendo que é um sacrilégio até mesmo expressar o nome do Altíssimo, mas que devemos, no lugar, dizer SENHOR ou Senhor Deus? Quem está certo? Será que o Santo de Israel, que inspirou a poderosa Reforma Protestante vários séculos atrás, na força da Versão Autorizada, de alguma forma permitiu que Seu próprio Nome e o Nome de Seu Filho fossem corrompidos ou omitidos, de forma que ao pronunciá-los ou escrevê-los cerca de 400 anos depois se iria incorrer em pecado? Creio que que não. O fato, porém, é que muitos leitores da literatura dos grupos do Nome Sagrado estão agora escrevendo para a Escola Bíblica de Stewarton pedindo Bíblias com Nomes Sagrados. Sem dúvida esses crentes sentem que as Escrituras que possuem são de alguma forma inferiores, supostamente maculadas espiritualmente e inadequadas para estudo. Assim, querem desfazer-se de suas Bíblias e obter Bíblias com Nomes Sagrados!
        Por outro lado, será que o Todo-poderoso Deus de Israel inspirou os profetas do Antigo Testamento a escrever Seu nome mais de 6.500 vezes na Escritura e então proibiu os verdadeiros crentes até mesmo de falar ou escrever Seu nome? Como é possível ‘invocar o nome do SENHOR’ (como aconselhado em 1Cr 16:8, Sl 80:18, Sl 99:6, Sl 105:1, Sl 116:31, Sl 116:17, Is 12:4, Is 41:25, Sf 3:9 e inúmeras outras passagens da Escritura) se não é permitido até mesmo falar Seu nome?
        Para falar francamente, fico horrorizado com tal raciocínio. Seu efeito poderia acarretar um desastre espiritual para muitas congregações que possuem Bíblias contendo o título SENHOR em quase cada página do Antigo Testamento: 140 vezes só no livro de Gênesis! Por isso preparei este artigo para explicar por que a Escola Bíblica de Stewarton, que conhece e usa os nomes sagrados, com reverência, também usa os títulos/nomes “SENHOR”, “Senhor”, “Deus” e “Jesus”. Irei brevemente listar outras três razões:

1. Milhões de Bíblias

        Você concordará que existem literalmente milhões de Bíblias no mundo, impressas em cada língua conhecida pelo homem. Eu diria que a maioria das versões em inglês usam o título LORD God (SENHOR Deus) e o nome Jesus. Estão essas Bíblias agora impróprias para uso? E se estiverem, como podemos esperar trocar as milhões de Bíblias que se estudam com oração por todo o mundo? E como poderemos realizar tão grande trabalho antes que o Messias retorne? Que esperança os grupos do Nome Sagrado têm de traduzir, imprimir e distribuir ao mundo uma versão da Bíblia que julgam ser correta, especialmente em vista do fato de que mesmo entre os grupos do Nome Sagrado existem muitas pronúncias diferentes do Nome Sagrado?
        A resposta é: nenhuma, seja qual for. Os grupos do Nome Sagrado não possuem os eruditos de fala hebraica, as finanças e o tempo para fazer este tipo de trabalho. De fato, nenhuma denominação na face desta Terra está equipada para trocar os milhões de Bíblias em uso hoje. A Versão Autorizada da Bíblia é uma publicação inestimável. Mais de 800.000.000 de cópias foram publicadas nos últimos 400 anos. Lançar dúvidas sobre sua integridade ou o seu uso dos títulos/nomes SENHOR, Deus ou Jeová, Jesus Cristo, etc., não é, certamente, uma obra do Espírito Santo.

2. A Oração Respondida

        A segunda razão é a oração respondida. O Altíssimo respondeu–e ainda está respondendo–a milhões de orações dos crentes, mesmo ao eles O chamarem SENHOR Deus. Se o Altíssimo responde a estas palavras e Seu Filho Unigênito responde ao nome Jesus, quem somos nós para julgar? Vá a qualquer igreja e converse com qualquer verdadeiro crente e  obterá ampla evidência de que o Altíssimo e Seu Filho responderam às suas orações–vez após vez–após serem invocados como SENHOR Deus ou Jesus. Leia qualquer livro sobre a grande Reforma Protestante e verá este fato com relação a oração respondida repetido vez após vez. Estude qualquer livro cristão sobre Oração e lerá de muitos, muitos exemplos de que o Altíssimo respondeu ao título de SENHOR. Oh, sim, a oração respondida é um argumento extremamente importante. Atreveremo-nos a ignorá-lo?

3. A Profecia Bíblica

        Nossa terceira razão vem da própria Bíblia; de uma análise lógica de um texto da profecia do Mestre no Olivete. Em Mateus 24:5 o Salvador diz isto:  “Pois muitos virão em Meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo, e enganarão a muitos.”
        O Salvador não quis dizer ‘muitos virão no nome de Yahshua e enganarão a muitos’. Comparativamente poucos crentes conhecem o nome ou título hebraicos do Salvador; e menos ainda expelem demônios naqueles nomes. A grande maioria de cristãos–especialmente os que pregam e praticam o engano–usam o nome JESUS. E é este nome–sim, o nome ‘Jesus’, o nome que muitos grupos empregam quando supostamente expelem demônios–que o Mestre chama ‘Meu nome’. Em outras palavras, o Salvador admite o nome ‘Jesus’ como sendo Seu nome; e o título ‘Cristo’ como aplicando-se a Ele mesmo.
        Considere ainda outra passagem. Quando o Messias retornar a esta terra, ele irá repreender muitos que fizeram maravilhosas obras em Seu nome!

Mt 7:    21: “Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus.”
vs.  22:  “Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, porventura não profetizamos em Teu nome? E em Teu nome não expulsamos demônios? E em Teu nome não fizemos muitos milagres?”
vs. 23: “Então lhes direi explicitamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniqüidade”.

        De novo perguntamos: Quem são os profetas que fazem tais coisas maravilhosas no nome do Messias? Muito certamente não são os líderes do Nome Sagrado. Os exorcistas operadores de milagres que irão algum dia usar estes argumentos serão encontrados nos grupos caristmáticos, que se especializam em fazer poderosos milagres no título/nome do Senhor Jesus: o nome que, quando se dirigindo ao Salvador, eles chamam ‘Teu nome’. Sim, eles fazem seus milagres no Nome do Messias–Jesus! O nome que ele chama ‘Meu nome.’ (Mt 24:5).
        Repito: Qual é o nome que esses operadores de milagres usam quando fazem suas obras maravilhosas; o nome que o Mestre chamou de ‘meu nome’? Eu posso dizer-lhe que não é Y’shua, Yeshua, Yahshua ou Yahoshua. Então, qual é o nome que esses carismáticos operadores de milagres usam? A resposta é: eles usam o nome Jesus: o nome que o Salvador chama ‘meu nome’.
        Então temos aqui duas profecias sobre o nome Jesus. Na primeira, o Salvador refere-se a ele como ‘meu nome’. E na segunda, esses enganados operadores de milagres, quando se dirigem ao Salvador, também referem-se ao nome Jesus como ‘seu nome’. O Mestre, note por favor, não diz: “Esperem um minuto, vocês estão dizendo o meu nome errado!” “Não é Jesus, é Yeshua ou Yahshua!” Em vez disso, quando examinamos as evidências, e o cumprimento desta profecia neste século 21, descobrimos que o Mestre–ao predizer o uso de Seu nome–poderia estar Se referindo apenas ao nome Jesus. Nenhuma outra conclusão sensata é possível.
        Aí está nosso ponto de vista. A Escola Bíblica de Stewarton usa os nomes sagrados Jehovah, Yahweh, Yeshua, Yahshua, etc. Estivemos fazendo isto por muitos, muitos anos, de forma a informar milhões de pessoas de fala inglesa que não conhecem outros nomes a não ser aqueles que aparecem em suas Bíblias. Também usamos os títulos/nomes SENHOR, Deus, Jesus, Cristo, etc. Mais ainda, não concordamos que o uso do título SENHOR Deus ou o nome/título Jesus Cristo seja pecado ou inaceitável ao Altíssimo e Seu Filho. Nossa crença é: que quando o nome do Altíssimo (Jeová) é usado–com reverência–ele possui um poder que nenhum homem na terra pode medir. Sem dúvida, nunca deve ser usado ‘em vão’, em vaidade auto-enganadora: isto é proibido pelo Terceiro Mandamento. Mas ele pode ser usado–com reverência! Afinal, é o nome do Todo-Poderoso autorizado em Sua Palavra, a Verdadeira Bíblia!
        Neste artigo o nome do Todo-poderoso, com suas variações, foi utilizado freqüentemente: mas isto foi apenas porque é o assunto sob consideração. Não há absolutamente nenhum desrespeito intencionado – seja qual for. Creio que isto esclarecerá nossa posição com relação aos nomes sagrados.

Nomes Sagrados – Parte 2

Autor: David B Loughran
Stewarton Bible School, Stewarton, Escócia.
Julho 1998 ... Atualizado: Dezembro 1999
http://atschool.eduweb.co.uk/sbs777/vital/snames2.html
Tradução: Adail Muniz Retamal (adailmr@uol.com.br)
1. Introdução

        Nós, na Escola Bíblica de Stewarton, conhecemos e usamos o nome sagrado do Todo-poderoso, YAHWEH, desde cerca de 1956. Se você ler nossa literatura verá ser este o caso. Mais ainda, quando usamos as palavras SENHOR ou Deus reconhecemos que elas não são nomes. Por que, então, as usamos? Porque para o mundo de fala inglesa a palavra  ‘God’ (‘Deus’) significa um ser sobrenatural e na maioria da Bíblias em inglês essas designações são usadas. Quando usamos essas palavras as pessoas de fala inglesa sabem a quem nos referimos. Se usássemos apenas o nome Yahweh, ou Yeshua para o Filho, muitos companheiros não saberiam sobre quem estamos escrevendo, porque esses nomes não aparecem em suas Bíblias.
      O Dicionário de Oxford define a palavra Deus como segue: “O Criador e Governante do universo no ensinamento cristão, judaico e muçulmano...”
       Isto é o que o mundo de fala inglesa quer dizer quando usa a palavra God (Deus), e é isto o que nós, na Escola Bíblica de Stewarton, queremos dizer quando empregamos a palavra. Qualquer um que presuma que quando as pessoas de fala inglesa dizem God (Deus) estão querendo dizer um ídolo pagão está fora de sintonia com a língua inglesa. Em nosso artigo Nomes Sagrados – Parte 1 você verá que estamos plenamente cientes de que o nome do Todo-poderoso é Jeová ou Yahweh. Depois que ler aquele artigo lembre-se do que o Salvador disse sobre a identificação dos verdadeiros crentes: “Pelos seus frutos os conhecereis.”

* Não por sua raça, dinheiro ou posição social.
* Não por sua igreja ou denominação.
* Não pelo dia que eles guardam como o sábado – mesmo se ele for o 7º dia correto!
* Não por qual nome eles chamam o Pai e o Filho: Jeová, Javé, Yahuweh, Yeshua, Yahshua ou Yahoshua.
* Mas pelos seus FRUTOS! – os frutos do Espírito Santo!

        Sinto muito ter que dizer que em minhas viagens, e eu viajo consideravelmente, não achei que os crentes no Nome Sagrado produzam mais ou melhores frutos espirituais do que os crentes de outros grupos cristãos. Triste dizer, mas os frutos do Espírito Santo: humildade, amor fraterno, gentileza, alegria, misericórdia, paciência, paz, generosidade, auto-sacrifício, justiça, etc.–tão evidentes em outros lugares no mundo cristão–estão lamentavelmente ausentes nas vidas de muitos (não todos) os crentes no Nome Sagrado. Não é esta uma estranha descoberta? Por favor note que estes são fatos que tenho testemunhado repetidamente.

2. O Uso de Palavras Pagãs

        Embora a EBS utilize os nomes sagrados, não consideramos um pecado também usar os nomes/títulos Jesus Cristo, SENHOR Deus, etc. Por que não? Porque nos comunicamos com milhares de crentes e descrentes de fala inglesa de cerca de 30 países. Na Internet alcançamos milhões mais. Muitas dessas pessoas possuem, ou já ouviram passagens lidas, da Versão King James da Bíblia: a Bíblia que detonou a grande Reforma Protestante através do mundo de fala inglesa. Ela realmente é a Versão Autorizada e, de longe, a melhor. Como uma Escola Bíblica Britânica, nós dificilmente diríamos que a mais renomada versão da Bíblia de todos os tempos está cheia de erros, ou que o Todo-Poderoso que inspirou sua publicação e preservação, de alguma forma, ficasse com Seu nome e o de Seu Filho tão errados que usá-los seria incorrer em pecado! Como você sabe, a língua inglesa, como muitas outras, possui centenas de palavras que foram emprestadas de outras línguas. Literalmente quantidades dessas palavras tem suas raízes no paganismo, e muitas são derivadas de nomes de deuses pagãos. De fato, a própria língua inglesa, tanto quanto diz respeito aos judeus, é uma língua pagã–cada palavra dela. Abaixo está uma lista de palavras (as que começam com letra inicial maiúscula são os nomes de deuses pagãos) usadas no inglês do dia-a-dia. Acharíamos difícil nos comunicarmos se essas palavras fossem removidas de nossos dicionários ingleses:

 Amazon, Andes, Atlas
 Baby, Beauty, Bible, Biceps, Bull
 Chaos, Charisma, Charm, Chastity, Church, Cosmos
 Dad, demonstrate, Ding (thing), Discord
 Earth, echo, era, error, Ether, Elfen, Eve (a esposa de Adão era Chawwah, e não Eva)
 Faith, Famous, fauna, Ferver, Felicity, Flora, Fortune, furor
 Gad, God, (luck) Genius, Glory, glorify, glorious, Grim
 Hades, Happy, Harmony, Hero, holy, honour, Hope, hunger, hospital
 Idea, index, inferno, Iris
 Joy, joyfull, Just
 King, kosmic (cosmic) Komedy (comedy)
 Laodicea, larva, Lauerd (Lord) loll, Lucifer, Luck, lunar
 Majesty, Manis, marathon, martial, meander, music, mute
 Narcissus, narcotic, nice, Nymph, nimble
 Obstinacy, ode, odius, olympic, oracle
 Pallar, Pander, Papa, Paris, Paulina, Pegasus, penis, petition, Phoebe, Phyllis, Piety, psyche, Python
 Quiet
 Ridiculous, Roman, religion, renown, rhesus, rumour
 Sacred (consecrate), saga, salus (salvation), santus (sanctify) Saturn, Saturn'sday (Saturday), saturate, Saude persuade), scan, solar, Spartan, status, sun
 Taciturn, Tartarus, Tartar, Tauros, tell, temper, terror, test, testimony, The (Theos), thing, thunder, Titan, triumph,  trivial, touch, tyrany
 Valiant, vampire, Vatican, verify, Victor, Virtue, vulcanise, volcano, etc. etc.

        Todas essas palavras, e eu posso lhe assegurar que existem centenas mais, possuem ‘raízes pagãs’. Muitas são nomes de deuses pagãos. Adicione a esta lista os nomes pagãos dos dias da semana (Sunday, Monday, Tuesday, etc.) ou os nomes de muitos meses. Em cima disso adicione também os nomes de centenas, quem sabe dezenas de milhares, de nomes pagãos que as pessoas têm e terá uma formidável lista de palavras, títulos e nomes diretamente ligados a religiões pagãs e seus deuses. Deveremos parar de usar todos esses nomes, como sugerem alguns? Como provavelmente sabe, cada língua humana é simelhantemente carregada com palavras de outras línguas.
        Antes da última guerra Hitler tentou purificar a língua alemã expurgando palavras de raízes estrangeiras. Ele falhou miseravelmente. Sim, cada língua na terra–incluindo hebraico, aramaico e grego–está eivada de palavras estrangeiras (pagãs). Precisaremos esperar pelo Todo-Poderoso para purificar toda língua, porque todas elas são tão corruptas como é o inglês (e o português, claro). Esse dia está próximo.

Sf 3:    8: “Esperai-me, pois, a Mim, diz o SENHOR, até o dia em que Eu Me levantar para o despojo; porque a Minha resolução é ajuntar as nações e congregar os reinos, para sobre eles fazer cair a Minha indignação e todo o furor da Minha ira; pois toda esta terra será devorada pelo fogo do Meu zelo.”
   9: “Então, tornarei ao povo uma língua pura, para que todos invoquem o nome do SENHOR, para serví-Lo de comum acordo.”

3. Além de Pronúncias

     Quando o nome do Pai é falado em Stewarton, nós vamos bem além da correta ortografia ou pronúncia, muito além dos sons audíveis que emanam dos lábios humanos. Como deve saber, existem muitas variações dos nome sagrado: Jehovah, Yahovah, Yahweh, Yahvah, Yahoweh, Yahovah, Yahuweh, Yahuvah, Jeová, Jeovah, Jehofah, Geová, Ihowa, etc. Não entramos no argumento sobre qual desses–se é que algum–é absolutamente correto. Nem professamos saber a pronúncia hebraica adequada do nome. Alguém realmente sabe? Eu certamente não sei. Nossos objetivos são:

* Ser como nosso Pai celestial e refletir o Seu caráter, obedecendo à Sua lei.
* Produzir em nossas vidas os frutos do Espírito Santo.

        Estes são nossos objetivos porque para nós o nome de Yahweh é muito mais do que um som audível, não importa quão corretamente nós ou outros achem que o pronunciamos. E embora respeitosamente utilizemos o Seu nome e ensinemos outros a fazerem o mesmo, não professamos ser especialistas em hebraico ou qualquer outra língua. Quando deu o Seu nome, foi isto o que o ‘SENHOR’ (IHVH no original hebraico) disse:

Êx 34:    1: “Então, disse o SENHOR a Moisés: Lavra duas tábuas de pedra, como as primeiras; e Eu escreverei nelas as mesmas palavras que estavam nas primeiras tábuas, que tu quebraste.”
   2: “E prepara-te para amanhã, para que subas pela manhã ao monte Sinai, e ali te apresentes a Mim no cume do monte.”
   3: “Ninguém suba contigo, ninguém apareça em todo o monte; nem ovelhas nem gado se apascentem defronte dele.”
   4: “Então Moisés lavrou duas tábuas de pedra, como as primeiras, levantou-se de madrugada, e subiu ao monte Sinai, como o SENHOR lhe tinha ordenado, levantando nas mãos as duas tábuas de pedra.”
   5: “O SENHOR desceu numa nuvem e, pondo-se ali junto a ele, proclamou o nome do SENHOR.”
   6: “Passando o SENHOR perante Moisés, proclamou: SENHOR, SENHOR Deus misericordioso e compassivo, tardio em irar-Se e grande em beneficência e verdade;”
   7: “que usa de beneficência com milhares, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado. Contudo, ao culpado não tem por inocente; visita a iniqüidade dos pais nos filhos e nos filhos dos filhos, até à terceira e quarta geração.”
   8: “Então Moisés imediatamente se inclinou à terra, e adorou.”

        Note como o caráter do Todo-Poderoso foi proclamado quando Seu nome/título SENHOR (Yahovah) foi pronunciado. No verso seguinte esta expressão do caráter divino, em vez do próprio nome, é ainda mais evidente:

Êx 34:    14: “(porque não adorarás outro deus; pois o SENHOR, cujo nome é Zeloso, é um Deus zeloso).”

      Quem, em sua sã consciência, dirigir-se-ia ao Altíssimo como Todo-Poderoso Zeloso! Ninguém, porque a palavra zeloso simplesmente descreve um único traço do caráter do Todo-poderoso. Ele é um Deus zeloso.
      Em outras palavras, o nome do Todo-Poderoso vai muito além do som verdadeiro de um substantivo, não importa o quão correto ele seja falado. E isto é o que nós, na EBS, tentamos manter em foco: O nome do Todo-poderoso é o Seu caráter. Este é o fato que desejamos experimentar em nossas vidas e proclamar a outros.
      A correta ortografia e pronúncia hebraica dos vários substantivos virá em Seu tempo. Até onde sabemos, apenas aqueles que refletem o caráter de Yahweh realmente conhecem o Seu nome. Conseqüentemente, tratamos com a maior cautela aqueles que professam saber o nome do Todo-Poderoso. Para termos a certeza de que podemos pensar que eles sabem como pronunciá-lo ou soletrá-lo, alguns podem até mesmo escrevê-lo na língua hebraica, mas, ah!, dos que temos encontrado, muitos são estranhos ao Seu Santo Espírito. Realmente não O conhecem ou ao Seu Filho. Eles possuem um espírito estranho que os motiva. Conseqüentemente, hesito em anular o resto da cristandade simplesmente porque não conhece ou não utiliza os nomes sagrados.
      No grande Dia do Juízo estou certo que descobriremos que muitos cristãos, desprezados como semi-pagãos, conhecendo pouco ou nada da Escritura, são na realidade muito mais espiritualmente inteligentes e produtivos do que o somos.
      Por isso, vamos todos pisar com cuidado; e se eu pudesse oferecer uma linha de aviso seria esta: Empenhe-se em demonstrar na sua vida–por seu caráter–que você realmente conhece o Nome do Todo-Poderoso, isto é, que O conhece! A quem conhecer é a vida eterna (Jo 17:3).
 


ADENDO

Prof. Azenilto G. Brito


      Embora não tendo ligação com esses grupos do Nome Sagrado, por muitas décadas as “testemunhas de Jeová” também se apresentam como restauradores do nome do Deus Todo-Poderoso enquanto criticando os demais cristãos e tradutores da Bíblia por não adotarem o que insistem ser o correto nome—“Jeová” em nosso idioma—como padrão. Transcrevemos a seção do livro O Desafio da Torre de Vigia (págs. 149 e 150), de nossa autoria, onde discutimos exatamente esse aspecto:

II –  O NOME DE DEUS

INTRODUÇÃO: Alegam as “testemunhas” que têm obrigação de proclamar o nome de Deus por todo o mundo, restaurando o nome que era conhecido pelos israelitas e do qual se conhecem as quatro consoantes (o tetragrama) que o formavam, expresso pelas consoantes IHVH. Reconhecem, porém, que ninguém sabe a pronúncia exata do tetragrama, o que faz com que todo o empenho em restaurar tal nome perca o sentido. De que vale restaurar quatro consoantes impronunciáveis?

– Ponderações:

1. Pronúncia desconhecida:

A) Tentativas para estabelecê-la: Santificado Seja o Teu Nome, págs. 18-21 (§ 14).
    Obs.: No prefácio da Kingdom Interlinear Translation demonstra-se com clareza que a pronúncia “Jeová” é tradicional, originária de transcrição do tetragrama IHVH desde o século XIV, e que Yahweh (Javé) é versão mais correta. Logo, que “nome divino” a “Sociedade” está restaurando, se admite ter-se empenhado em divulgar um nome divino inexato? Reconhece que a pronúncia melhor é outra. . . Deve, então, corrigir o que é inexato.

2. O nome que os cristãos são instados a honrar e que está acima de todo nome sobre a Terra (isto é, entre os homens) –o de Jesus: Atos 4:12.
    Obs.: a) O dever do cristão agora é ser “testemunha de Jesus”: Atos 1:8 e 13:31.
    b) No Salmo 138:2 a “Palavra” é exaltada acima do nome de Deus.
    c) Ao receber o “espírito de adoção”, o nome a destacar é “Aba, pai”: Rom. 8:15; Gál. 4:6.

3. Nome na Bíblia expressa caráter: Gên. 17:5; 32:28; Êxo. 34:14; Sal. 111:9.
    Obs.: a) Conhecer o nome de Deus é conhecer a Deus como Ele Se tem revelado: Sal. 9:10; João 17:6, 26.
    b) A passagem de Atos 15:14, “Deus visitou os gentios para tomar deles um povo para o Seu nome” não indica que esse povo devesse somente pronunciar Jeová para referir-se a Deus. Indica, antes, que tal povo não O desonraria, e representaria bem o caráter dAquele a quem dedicavam a vida e de quem dariam testemunho.
    c) Caso esse “povo para o Seu nome” se refira às “testemunhas de Jeová” e caso esse grupo haja sido suscitado por Deus para divulgar o Seu nome, não parece estranho que somente a partir de 1926 (ver Caiu Babilônia, a Grande. . . págs. 18 a 20) tenham descoberto o valor desse nome, e somente em 1931 hajam adotado o título de “testemunhas de Jeová”, ou seja, mais de 50 anos após começarem a divulgar seus ensinos?

4. Se nossa oração para ser válida e ouvida tem de ter “Jeová” como designativo de Deus, então a oração de Jesus na hora de Sua morte não foi ouvida nos céus. Ele não pronunciou esse nome, mas, sim, “Deus meu, Deus meu. . .”: Mat. 27:46 –T.N.M.
    Obs.: Cristo, nosso exemplo, orava constantemente ao Pai sem pronunciar o nome Jeová. Então podemos tranqüilamente orar de modo igual (ver João 11:41; 17:1).

5. A ênfase bíblica é de que indentificamos o verdadeiro Deus por Seu poder criador, não tanto por um nome: Sal. 96:5; Atos 14:15; 17:24; Jer. 10:10-12.

[Obs.: Quem desejar obter a nova edição ampliada, versão eletrônica, de O Desafio da Torre de Vigia poderá contactar o autor pelo e-mail em baixo:
  

*************************** 

Outras Opções

profazenilto@hotmail.com

 bcleliabrito@aol.com

Clique aqui para ir para a página do Prof. Azenilto

  Clique aqui para para ir para a página de Historietas-Didaticas"

Clique aqui para ver artigos sobre Os"DEBATES CATÓLICOS"

Clique aqui para ver artigos sobre as "DOUTRINAS CATÓLICAS"

 Clique aqui para ver artigos sobre  SÁBADO OU DOMINGO

 Click aqui para ver artigos sobre a "Imortalidade"

 Click aqui para ler sobre as leis dietéticas

 Click aqui para ver artigos sobre as divisões das leis

 Clique aqui para voltar aos outros artigos

 Clique aqui para ir para os Artigos Numerados

 Ministerio Sola Scriptura