O SENHOR E EU
    Por Clelia Reis Scopelite Brito

CAPITÚLO II
Assuntos do coração

Proverbs 18:22.
“Quem encontra uma esposa acha uma coisa boa; e alcança o favor do Senhor.”

Eram onze horas da manhã em um domingo de inverno em fevereiro, quando ouvi a campainha tocar. Quando eu abri a porta, eu encontrei um  homem alto em frente a mim.
"Ola", ele disse "Meu nome é Phil Scopelite. Tenho uma hora marcada para a aula de Português."
"Entre por favor, eu sou Clelia Reis, sua professora."
Eu levei-o para a sala da frente e pux a mesa perto da janela panorâmica. Ele se sentou na minha frente, e nós começamos a lição. Tinhamos só comessado a aula, quando alguen me chamou gritando:
"Socorro! Clelia, venha depressa!" Corremos para a cozinha e encontramos o meu irmão Renildo deitado no chão. Renildo estava quase rocho e estava fazendo movimentos limitados com suas mãos. Ele começou a apontar para o seu cinturão. Minha mãe imediatamente começou a desprender-lo. Phil correu para o telefone e chamou o médico, que chegou em pouco tempo e começou a examiná-los. A amigA de Renildo não estava tão mau como o meu irmão e começou a contar ao médico o que aconteceu.

Estavamos consertando o carro na garagem quando começamos a sentir muito frio, por isso, fechamos a porta da garage. Enquanto estávamos concertando o carro, o motor estava foncionado e encheu o ar com fumaça. Renildo se dobrou ao longo do motor e mencionou que ele estava de repente se sentiu cansado. Foi quando percebi que estavamos ficando asfixiados. Eu estava doente e também sentindo cansado. Eu abri a porta lateral e puxei-lhe pelos ombros.

Phil e o médico transportaram os dois para a cama. O médico disse que só precisavam de muito repouso, e que deveriam beber muita água, e a receita era  tudo que eles precisavam. Então, Phil me levou à farmácia. Quando atravessamos a rua, ele colocou o meu braço no seu. Em casa, minha mãe estava esperando por nós com uma mesa cheia de alimentos. Ela perguntou a Phil se gostaria de comer conosco. Uma demonstração do seu apreço por toda a ajuda que ele tinha nos dado. Phil tinha perfeita maneiras na mesa e provou-se ser o verdadeiro cavalheiro que eu tinha imaginado. Minha mãe e eu estavamos totalmente impressionadas com as suas atitudes.

Após várias semanas de aulas, começámos sair juntos. Muitas vezes depois da aula, iríamos para a biblioteca pública e ouvir músicas clássicas, ou
gostaríamos de ir sentar-se junto as águas do Lago Michigan para ouvir os salpicos das ondas contra a costa. Ele também passou a ir comigo à igreja para assistir a uma série de estudos que estavam sendo dados. Ele polidamente mostrou um grande interesse nas reuniões e decidiu se matricular em um curso de correspondência bíblica, A Voz da Profecia.

Um dia depois da escola, ele ofereceu-me um presente de uma caixa de balas. Nós estávamos em frente do edificio de pé contra a parede da escola, quando Phil tomou um grande charuto do bolso, acendeu-o, e começou a fumar. Eu quase deixei cair a caixa de balas, eu estava totalmente chocada.
"Qual é o problema?", Perguntou, não percebendo a razão para a minha surpresa.
"Você fuma!" Eu respondi com um toque de desgosto na minha voz.
"Sim, eu fumo. O que está errado com isso? ", Perguntou-me.
Então eu lhe dei uma palestra sobre fumo. Ele jogou o cigarro fora e prometeu que ele nunca iria fumar novamente. Como incrível que pareça,
ele nunca mais fumou.

Cada vez que Phil veio para jantar, ele reparou que nunca tivemos qualquer carne na mesa. Ele perguntou por que não houve qualquer carne com a farinha. Eu expliquei que éramos vegetarianos e que a carne não era um alimento muito saudável para a nossa dieta. Eu também disse a ele como eu era surpreendentemente mais sadia depois que eu tinha deixado de comer carne. "Não vou comer mais carne." Ele decidiu, e tornou-se um vegetariano.

Uma vez ele me ligou e disse que estava muito chateado. Sua irmã ia se casar e seu pai não iria dar-lhe a mão ao casamento na igreja. Phil
chegou e derramou o seu coração para mim. Ele disse que tudo estava indo errado. Seu pai nem sequer falava com a mãe dele.
"Phil", Eu disse, "Jesus é a única solução para problemas como o seu. Tenho certeza de que iria ajudar se você orase sobre os seus problemas. "
Naquela noite, antes que ele foi para a cama, ele se ajuelhou e falou com Jesus pela primeira vez. No dia seguinte ele veio ver-me com um grande sorriso em seu rosto. Ele me contou a história toda. Quando ele foi para seu quarto para orar a noite antes, ele deixou a sua mãe chorando na cozinha. No dia seguinte, quando acordou, ele desceu a escadaria para baixo para encontrar a sua mãe cantando alegremente.

"Mãe, você está cantando! O que aconteceu? ", Indagou. "Você estava chorando ontem à noite, e agora você está tão feliz!"
"Papai vai dar Marie em seu casamento na igreja. Ele é realmente um homem muito amoroso e ele até me deu um beijo. "
Não foi muito tempo antes de nós encontrámo-nos indo para o casamento de Marie no carro de Phil.
"Estou indo para o casamento só porque é da minha irmã, eu não gosto de casamentos. Todo mundo acaba embriagado, pelo que vou tentar o meu melhor para não beber muito. Tenho aresponsabilidade de leva-la de volta para casa, então eu tenho que estar em forma  para a condução.

"Phil, você não sabe o que o álcool faz ao nosso corpo?" Então eu comecei uma outro palestra sobre saúde.
 "Eu vou deixar de beber bebidas alcoólicas." Ele disse enquanto o carro se aproximava do templo.

O casamento foi lindo. Marie parecia um anjo radiante. Todo o mundo estava de bom  humor, todo mundo estava alegre e feliz. Depois da igreja
fomos  para a sala onde estava sendo realizada a recepção. Havia muitas pessoas. Em um dos lados da sala estava uma longa mesa decorada com fitas e rendas. Um grande bolo de noiva foi colocado perfeitamente no centro da mesa. Perto da parte traseira da sala uma banda tocada suavemente, algumas melodias românticas. Depois que comemos, Phil me levou a outra sala, onde todos estavam dançando. Uma mulher veio até nós, tomou Phil  pelo braço, puxou-o para a dançar, e começou uma polca com ele. Em seguida, a música parou, e ele veio me dizer que a próxima dança seria nossa.

"Sinto muito, mas, na nossa religião não dançamos. Eu não posso explicar muito bem a razão pela qual, mas vou levá-lo para o nosso ministro. Você pode perguntar a ele, e ele dir-lhe-á por que. "
Várias vezes a mesma mulher veio a busca-lo para dançar com ela novamente. Depois fomos para casa. Na porta ele puxou-me perto dele e perguntou-me se queria casar com ele.

"De-me tempo para pensar." Eu respondi. Eu fui para a casa naquela noite e eu não podia dormir. Phil queria casar comigo e ele não era membro da minha igreja. Desde que eu era uma garotinha, eu tinha ouvido dizer que não devemos ter um jugo desigual com incrédulos. Dobrei em meus joelhos e perguntou a Deus o que fazer. No dia seguinte, quando fui para o trabalho, eu só tinha uma coisa na minha mente durante todo o dia: O que vou dizer a ele? Toda quarta-feira à noite tínhamos uma reunião de oração na Igreja, por isso decidi levar o meu problema para o nosso pastor. Eu disse a ele que Phil tinha me pedido para casar com ele, e eu não sabia o que dizer a ele.
 "Diga a ele que você vai casar com ele sobre uma condição: que ele se tornará um membro batizado da Igreja. Você está apaixonada por
 ele, não é mesmo? Sei que o Phil é uma excelente pessoa, e tenho a certeza que ele vai aceitar Cristo como seu salvador pessoal. Ele também fará um bom marido. Diga-lhe que sim, com certeza. "

O pastor tinha tanto sua mente como a minha decideda. Eu estava certo de que agora eu queria casar com Phil, mas eu não sentí que era tempo de lhe dizer. Cada dia, ele pediu-me por uma resposta. Eu diria que eu precisava de uma semana para pensar sobre isso. No domingo, uma semana depois que ele havia feiito a pergunta, eu disse a ele sobre os conselhos que o  pastor tinha me dado. "Eu vou casar com você depois que você se tornar um membro batizado da Igreja".

O verão passou rapidamente com a sua beleza e esplendor. Todas as noites Phil veio para me ver. Nosso amor cresceu mais forte e mais forte cada momento em que foram se passando. Cada noite foi mais difícil do que a noite anterior de dizer adeus.
Logo vimos as folhas tornarem-se em um marrom dourado e cairem sobre a terra. O verão estava no seu final e a queda das folhas já estavam se realizando.

Em outubro, o irmão mais velho de Phil estaria se casando. Isto significava que iriamos frequentar ainda um outro casamento, mas desta vez Phil não iria dançar ou beber.

Perto do final de novembro, Phil foi imerso em uma piscina batismal. Ele tinha aceitado Jesus Cristo como seu salvador pessoal.
"Agora você pode casar-se comigo, por isso permita-me definir uma data." Ele disse.
Depois de muito estudo, decidimos casar no final de fevereiro. O frio de inverno veio com os seus dias frios, escuros, e sombrios. Para Phil e eu,
tudo parecia brilhante e promissor. Phil foi sempre um tipo, gentil, e pontual. Se ele dissesse que estaria em  um lugar as 3:05, ele estaria lá
exactamente no momento certo. O inverno é nunca graciously saudado por ninguém, mas este inverno foi diferente. Tive Phil comigo quase todos os dias. Os longos dias ficaram curtos, e as semanas e meses voaram ainda mais rápido.

Finalmente chegou o dia quando estávamos unidos no santo matrimônio. A igreja estava cheia de amigos e parentes. Após a igreja, que fomps para casa com alguns amigos para uma celebração do casamento, mas muito pequena. Afinal, se Phil não queria um uma comemoração de casamento grande, quem seria eu para recusa-lo. Phil incistiu nisto de tirar este prazer, porque ele sabia que eu era capaz de  desistir de algo que eu sempre tinha desejado, como um grande casamento. No dia seguinte, fomos no nosso carro para os Ozarks no centro do país para nossa lua de mel. Visitamos sete estados, vimos duas grutas, vários lagos, e uma cachoeira. Antes de sairmos de volta para o  hotel, ele carregou-me para o topo da colina apenas para diversão. Caminhamos, corremos, saltamos como duas crianças que brincam, siga o líder. Ninguém e nada estavam ali para perturbar-nos, apenas os ruídos da natureza nos ajudaram a desfrutar nossos inesquecíveis momentos juntos. Cachoeiras borbulhavam distânte, árvores balançavam com o vento, lagartos e sapos faziam seus canticos aqui e ali. Chegámos a um árvore que caiu no chão com todas as suas folhas. Paramos de falar somente para ouvir os sons da natureza. Ali mesmo fizemos planos para ter um  família e ensinar-lhes o amor de Deus. Tudo parecia que tinha parado  para nós. A cachoeira parecia como se ele estivesse ainda de pé, sem qualquer movimento. Nós éramos realmente apaixonado. De repente caimos na realidade da vida, e resolvemos voltar para o hotel. Nós terminamos nossa lua de mel em Indiana, onde alugamos um quarto na beira do rio Ohio.

 Depois de muitas horas de viagem, que finalmente chegamos ao nosso pequeno apartamento em Willow Street, em Chicago. No dia seguinte, a vida começou com a sua própria rotina. Phil retornando ao trabalho, enquanto eu ficaria em casa. Phil e eu começamos a procurar uma casa para comprar, Encontramos uma que estava perto da mãe de Phil. Depois de viver lá por seis meses, à espera dos documentos serem apuradas, nós decidimos que  realmente não era aquilo que queríamos, então saimos de lá. Antes de sairmos, fomos abençoados com uma linda menina. Ela pesava sete quilos, quatro onças. A bondade de Phil era evidente quando ele assumiu a lavagem das roupas, e ajudar em qualquer outro modo que ele poderia.

Por três anos, mudamos de local para local. Depois de muito pesquisar, nós finalmente encontramos uma casa quinze minutos do trabalho de Phil. Compramos a casa e nos mudamos para ela. Deus estava do nosso lado todo o caminho. Phil começou a dar estudos bíblicos a uma família que aceitou totalmente o Senhor. Mais tarde eles foram batizados na nossa igreja. Phil gostava muito de dar estudos bíblicos, tanto, que logo ele tinha várias pessoas que estudavam com ele, e muitos foram batizados. Ele encinou a quem queria estudar. Ele também inventou um jogo de Bíblia intitulado Fact-Full-Diversão. Tivemos um pequeno paraíso na terra.

Um dia eu disse a Phil, vamos ter outro bebê? Nós já Temos um filho e uma filha, e agora eu queria outra criança.
"Tem certeza que você quer ainda outro bebê? "
--- "Oh sim, vamos ter um bebê no verão. Tivemos a nossa menina no inverno e que foi muito difícil, por isso vamos programar para ter o bebê em um mês de verão."
Nós decidimos que deveríamos ter o bebê em agosto. Eu comecei a contar para trás e calculou que para ter o bebê em agosto, eu teria de
conceber, em Novembro. Então, teríamos de orar sobre isso em novembro. É exactamente isso que fizemos. Esperámos para novembro e, em seguida, pedimos a Deus  para dar-nos um bebê. Na terceira semana do mês, fui ver o meu médico e disse a ela que estava grávida.
--- "Há quanto tempo você passou sem o seu ciclo mensal?" O médico me perguntou.
--- "Ah, eu ainda não perdí qualquer ciclo mensal, mas estou grávida."

O meu médico riu muito de mim e disse: "Ninguém fica grávida sem perder o seu primeiro ciclo. Eu garanto, porque sei que você
não está grávida. "
---"Sim, estou." Eu disse. "Nós oramos por um bebê, e Deus tem respondido as nossas orações com um lindo bebê. Não me pergunte como eu sei, porque eu não sei como explicar isso, mas sei que estou grávida. Temos orado para um bebé, e Deus deu-nos o nosso desejo. "
Esperei por três meses antes de voltar ao médico. Eu não gostei de ser ridicularizada da minha crença em Deus respondendo as nossas orações. A próxima vez que o vi, eu disse a ela que eu realmente estava grávida, e que eu tinha perdido três meses em seguida.

---"Bem, você realmente está grávida. Eu nunca vi isto antes de uma pessoas engravidar a forma como você fez. Todos os meus doentes vêm ter comigo, depois de terem falhado ao menos dois meses, mas você veio aqui antes que você perdeu um único ciclo mensal. Isso é incrível! "
Ele disse a todos no escritório que eu realmente estava grávida. Eu conhecia a história de Hannah na Bíblia e como ela orou por Samuel. É por isso que orei para o nosso bebê. Eu queria seguir o exemplodela . No dia 19 de agosto o nosso bebê nasceu. Foi maravilhoso voltar para casa do hospital e encontrar as nossas crianças, Giò e Liliana, esperando por nós. Liliana tinha seis anos e estava ansioso para conhecêr o novo irmão que demos  o nome de Pasqual. Por causa do último parto cheio de complicações, o medico decidiu concervar-me no hospital por 10 dias.

Quando chegamos em casa com o nosso querido bebê, notamos na cozinha junto da mesa uma cadeira alta para o bebê. Gio notou que eu estava olhando para a cadeira e disse: "Surpresa, hein?" Dai ele me contou a história toda como o pai de Phil tinha dado aquela cadeira, somente porque tinhamos chamado o bebê do mesmo nome do avô.

Gio já tinha doze anos,  e estava estudando violino quando Pasqual nasceu. Assim, com gio na escola e Phil no trabalho , Lil, Pasqual, e eu tive muito tempo para ir e vir comoqueriamos.
Porque Pat (o apelido que demos a Pasqual), teve a atenção de todo mundo, eu decidi fazer algo especial para Lil. Eu levei-os para o Museu de Arte muitos  vezes. Nós comiamos na cafeteria e passavamos o dia inteiro no museu. Lil adorava o Impressionismo e ficou minito interessada em arte, e aprendeu a reconhecer os pintores pelos seus estilos. Uma vez fomos a Sears para fazer algumas compras, e Lil notei uma pintura na parte de trás da loja. Ela puxou minha saia e gritou bem alto:
---"Mãe! Matisse! Olha, mãe, Matisse ".
A partir de uma distância não pude identificá-lo, mas eu disse: "Não, isso não é Matisse." Mas ela insistiu que era, ela tinha apenas quatro anos de idade na época e eu não dei a ela o crédito que ela merecia. Assim nós fomos ver a pintura de paerto. Dá pra acreditar? Ela tinha razão. Foi Matisse.

Phil um dia disse-me, mãe, nossa família está a crescendo. Vamos comprar uma casa maior nos subúrbios? Depois de muito pesquisar, encontramos um modelo de casa que adequava-nos em todos os sentidos. E compramos o maior terreno para construir a casa de acordo com o nosso próprio gosto. Todo domingo fomos ver o progresso da nossa casa. Finalmente, os construtores nos disse que a casa estava terminada e que poderíamos nos mudar para ela. Foi um calvário, mas todos ajudaram e logo que estavamos estabelecidos em nosso novo lar.

Porque eu odiava o alfabeto quando eu era uma garotinha, eu decidi-me ensinar a minha filha a ler palavras em vez de sílabas. Ela só tinha
quatro anos, e em uma semana ela pode ler o seu livro inteiro. Eu ensinei-lhe adição, multiplicação, subtração e divisão. Quando ela tinha sete anos, enviamos ela para a escola. Ela me disse mais tarde que ela estava entediado com a escola. Ela reclamou, não havia nada de novo para aprender todo o caminho até o quinto grau.
Eu decidi não ensinar Pasqual como aencinei a Liliana. Eu não queria que ele ficasse frostrado na escola também. Eu não poderia esquecer os muitos problemas que tive na escolas públicas, por isso, insistí em que eles só fossem a escola da igreja.

Gio era o pequeno gênio da nossa família. Ele ensinou-se a ler por si praoprio quando tinha dois anos e meio de idade. Quando nós pegamos um ônibus para chegar no centro, ele lia em voz alta os nomes de todos os ônibus que passavam por nós. As pessoas deixaram de ouvi-lo e perguntar-me a sua idade. Acho que eu era a mãe mais orgulhosa que já vi. Gio também teve uma ouvido para a música. Ele nos disse que ele queria tocar o violino. Uma vez, quando estávamos no carro indo para casa dos pais de Phil, o rádio estava tocando um concerto com de violino. Ai Gio disse: Isso é um concerto de Paganini, e  começou a cantarolar a música. Por isso, nós compramos um violino e colocmos ele no Conservatório de Música de Chicago. Ele estudou lá durante cinco anos até que ele teve que parar de estudar violino, porque ele estava indo para Broadview Academia. Mais tarde, ele foi para a Academia Thunderbird e terminou o ensino médio lá.

Pasqual foi nosso pequeno ministro da família. Ele tinha dois anos de idade quando chegou ao palco e recitou doze versículos da Bíblia. Quando
ele tinha cinco anos, ele pregou, A Segunda Vinda de Cristo para cerca de 200 crianças. Com um microfone na mão esquerda e a mão direita
fechada no ar, ele dizia:
---"E veremos ver uma nuvem escura, do tamanho de uma mão de homem. E a nuvem irá maior, e maior, e chegando mais perto e mais perto, vamos ver até que a nuvem é feita de anjos, e os anjos estarão trazendo Jesus com eles. "
O povo chamava-lhe o menino de orações. Após terminar Broadview Academy, ele foi para Pacific Union College, na Califórnia, onde fez tres anos tudo de estudos. Agora ele é casado e tem dois filhos.

Quando fomos para Willow Springs, nós mantivemos a casa em Chicago. Tivemos que voltar a pintar-lo, antes que pudesse alugar-la. Um dia, enquanto eu estava pintando a casa, Lil foi para fora ver se podia encontrar alguns de suas antigas amizades. Ela voltou para casa com uma garotinha. Depois de um tempo, Lil trouxe uma menina para mim e disse que sua amiga queria falar comigo. Ela disse: "Mãe, esta é Linda".
---"Oi, Linda, o que você sobre  que você quer falar comigo?"
---"a senhor quer ser a minha mãe?" Linda perguntou. "Você vê. Minha mãe está à procura de alguém para me dar. Então, você seria a minha mãe? "
Eu fiquei chocado!
---"Linda, sua mãe não quer dar-te, como você pôs essa idéia na sua cabeça?"
---'Ah sim, minha mãe quer dar-me, e quer que va embora da casa. Você vem comigo e minha mãe vai dizer que ela quer dar-me, e quer que eu vá embora. "
---"Onde você mora?"
---"Eu moro na última casa neste bloco."
---"É a sua mãe está em casa agora?"
---"Não. Minha mãe está no trabalho agora, e seu namorado está em casa dormindo. Veja, só temos uma cama para todos os três de nós. Minha mãe trabalha durante o dia. Enquanto ela trabalha, o namorado dela dorme. O namorado dela trabalha a noites, e minha mãe trabalha de dia. Então, quando ele está trabalhando, o namorado vai dormir. Esta é a razão porque não posso ficar em casa durante o dia, porque ele tem que dormir. Quando eu fico em casa, vou acabar acordando-o com os meus barulhos, e ele fica muito irritado. Minha mãe vai estar em casa às cinco. Você vai vir e dizer a minha mãe que você vai ser a minha nova mãe? "
---"Linda, eu não posso ser a sua nova mãe."
---"Por favor!" Ela implorou.
---"Bem, eu vou pensar nisso." Minha curiosidade começou a tirar o melhor de mim Eu prometi Linda, que pelo menos, iria ver a mãe dela. Nessa noite Phil e eu fomos para a casa de Linda. Quando chegamos lá, a mãe dela estava em casa assistindo televisão. Ela explicou-nos que ela trabalhava o dia todo e não tinha tempo para cuidar de Linda.

Phil me perguntou se eu queria assumir essa responsabilidade, e eu disse a ele que queria. A mãe de Linda já tinha uma mala cheia, prota par nós leva-la. Foi decidido que ela iria vir com a gente e todos os domingos a mãe dela ia vê-la. Ela ia pagar-nos uma pequena taxa para levá-la.
Depois de  um tempo a mãe dela se afastou sem dar-nos o seu novo endereço. Não ouvimos dela por dois anos. Cerca de um mês depois que Linda veio morar conosco, seu pai veio com o irmão de Linda e implorou-nos a mantê-lo também. Phil olhou para o menino e ficou encantado com ele. O nome dele era Gussy.

---"Gussy, venha aqui." Phil disse, estendendo os braços. Gussy era goardinho, e quando sorria fezia sua bochechas ainda mais gordo. Assim concordamosu em mantê-lo também. Nós tivemos estas crianças conosco por dois anos. Após isso, os pais juntaram-se e eles vieram buscar os seus filhos. Até então, nós tinhamos nos ligados as crianças e era muito difícil  partir com eles.

A vida pode ser tão complicada, às vezes. Phil e eu fomos casados por 25 anos. Tivemos alguns bons momentos e algumas vezes quando as coisas não eram tão boas. Em Julho de 1978 nós nos divorciamos por motivos tão banais. Phil casou-se como uma mulher bem mais nova do que eu. Só Deus pode nos ajudar em situações tão pungente como estas. Em Junho de 1995, Phil morreu de leucemia.
E agora podem ver que só Deus pode consertar os assuntos do coração.
 
 

******************************

CAPÍTULO III

 QUANDO DEVEMOS SEGUIR UM CONSELHO
Salmos, 66: 18-20.
18 “Se eu tivesse guardado iniqüidade no meu coração, o Senhor não me teria ouvido;
19 mas, na verdade, Deus me ouviu; e tem atendido à voz da minha oração.
20 Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem retirou de mim a sua benignidade.”
Quando os pais dão conselhos, devemos segui-la, porque mais provável será bom. Quando tomamos conselhos de nossos pais, estamos homenageando-los. Eu não tomei o conselho da minha mãe, e agora eu não posso lhe dizer como estou arrependido,pois agora ela já faleceu.

Enquanto eu estava em São Paulo, Brasil, em uma escola Adventista do Sétimo Dia, a minha mãe decidiu que ela iria fazer todos os pagamentos para a escola com o dinheiro dela propria. Ela não queria que o meu pai pagase, porque tinha medo que ele ia se queixar de que o curso era demasiado elevado. Ela escreveu e disse-me que iria pagar por todas as minhas aulas, mas eu deveria ter muito cuidado para não me inscrever em qualquer extra aulas, especialmente se elas não eram necessárias no currículo da escola. Ela não queria ter que trabalhar mais duro para fazer os pagamentos. Eu escrevi, e lhe pedí permissão para me inscrever em uma classe de pintura a óleo, e de uma classe de piano. Ela escreveu para trás e disse:
"Definitivamente não, não tome estas extra classes. Tenho muitas despesas para além das despesas da escola. Sabes que estamos realmente abençoado que o pai permitiu-lhe para ir à uma escola tão longe de casa. Você também sabe que ele é muito ligados a você, e esta distância realmente está machucando-o.
Por isso penso que não é sábio para eu pedir a ele para pagar as aulas extras. Basta estar feliz com o que você tem, em vez de pedir mais. Eu amo
você com todo o meu coração, e eu quero o melhor para você, mas eu não acho que você deve ter uma carga maior do que você já tem. Não tenho qualquer objecção à você a aprender pintura a óleo e piano, mas eu acho que elas vão afetar você e suas qualidades. Acho que deveria terminar o ensino médio em primeiro lugar, e então você pode aprender o que quiser. Neste dia e idade ninguém pode ficar em qualquer lugar, sem uma educação. Assim, concentra-se na sua educação em primeiro lugar, depois de haver terminado vai ter tempo para  você escolher o que quiser. Sei pela minha própria experiência que, quando você toma lições de piano você não deseja fazer qualquer outra coisa, tudo que você quer fazer, é  tocar piano. Antes de você nascer eu era aluna de piano, e eu não queria fazer outra coisa.

Eu queria tocar piano durante todo o dia, e eu fiz. Tivemos uma boa cozinheiro, na altura, e ela iria também limpar a casa toda. Isso deu-me tempo para tocar piano quento quisesse . Depois que você nasceu, eu tinha a enfermeira que cuidavaa de você, e eu te amei tanto que eu fiz tudo para você, incluindo a desistir o meu piano. Eu dei todo o meu tempo a você. Por favor, querida, me escute. Você não vai se arrepender, eu prometo.

Por favor, escreva para mim. Todo dia eu olho para o carteiro na esperança de obter uma carta de sua. Você tem tido escrito para mim apenas uma vez por mês. Por favor, escreva com mais freqüência do que isso. Eu enviao-lhe cerca de quatro cartas para cada carta que você escrever para mim.

Este Verão vou tirar férias e vou visita-la an escola para ficar com você há cerca de três semanas. Papai não vai, ele deveria tirar férias também, mas ele se recusa a fazer isso. Você sabe que todos os anos que ele funciona ele trabalha nas suas férias. Ele disse que ele nunca seria capaz de viver longe do trabalho. Essa é sua vida e sua própria crença. Eu não posso muda-lo. Todo dia quando ele chega em casa do trabalho ele paeregunta se tivéssemos notícias de ti, e todos os dias tenho de lhe dizer não. Por que você não vai tirar alguns minutos fora do seu tempo e escrever uma carta em especial ao seu pai? Faça isso hoje, quando você terminar de ler esta carta.

Seu irmão Renildo também tem saudades de você. Ele corre do que ele está a fazer para ouvir a minha resposta ao seu pai quando ele pergunta se eu tenho notícias de você. Quando ele ouve-me dizer que não, ele se afasta muito triste. Não sei o que fazer para fase-lo ficar feliz quando não teve noticias de você. Eu te amo. Nós todos te amamos, e eu estou sempre orando por você. Por favor escreva. Com amor materno, sua mãe."

Aqui é o meu pecado. Eu não ouvir conselhos da minha mãe. Em vez disso, escrevi para o meu irmão mais velho Raudenez. Ele mrava no Rio de Janeiro, não muito longe da minha escola, em São Paulo. Eu disse-lhe tudo o que estava na carta da mãe, e eu também disse a ele o quanto eu queria ter essas duas classes. Ele escreveu de volta e disse que iria pagar as classes extras. Fui ao escritório da escola a registrei-me nas duas classes, ignorando completamente o conselho da minha mãe.

Apenas duas vezes na minha vida eu me lembro de ter aceito um conselho. Um deles foi o parecer de um ministro sobre o meu casamento, e o outro foi o conselho de uma mulher que era a esposa do ministro. E um  conselho tabém do proprio ministro.
Esses conselhos eu não deveria ter seguido. Eu devia ter percebido que um ministro é também um ser humano e não tem o direito de alterar a Bíblia.  A Bíblia diz que não deve ter jugo desigual com os incrédulos.

2 Co. 6: 14.
14 “Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas?”

Êxodo 20: 12
12 “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.”

Gostaria de poder dizer a minha mãe Lamento, mas não posso, vou dizer que me lamento somente a Deus. Por favor! Escolha o seu conselho sabiamente, especialmente se for sobre ser um jugo desigual. Se você não tem certeza sobre o conselho que você recebe, então, peça a Deus cujos conselhos você deve seguir.

Quando eu voltei do Rio de Janeiro, e fui para a escola no Recife, minha terra natal, fui para uma escola Batista. Fiz amizade com vários estudantes,
mas sobretudo com uma garota chamada Sarah. Sarah e eu tivemos o nosso próprio grupo de amigos, que incluía alguns dos rapazes da nossa área. Nós éramos muito juntas. Seu pai era proprietário de uma livraria, e Sarah fornecia  todos os meus livros escolares sem cobrar um centavo. Mas tarde, os pais de Sarah decidiram abandonar a nossa cidade e, obviamente, eles planejaram levar Sarah com eles. Um dos nossos amigos perguntou se eu queria ir para o aeroporto para ver Sarah no aerioporto. Fomos no carro da sua mãe para o aeroporto para ver Sarah talvez pela última vez. O avião foi programado para partir em 3:00. e, em geral, levou uma hora para chegar ao aeroporto. Já era 2:30., E tinha começado a chover. A chuva abrandou o tráfego para quase uma paragem. Não podíamos ver qualquer forma possível de chegar ao aeroporto antes de o avião decolar. Nós começamos a chorar, porque que tinha perdido toda esperança de ver Sarah novamente. Então eu tenho uma idéia. Eu curvei a cabeça silenciosamente e pedí a Deus por ajuda. Eu também fiz uma promessa a Deus.

I disse-lhe: "Prezado Senhor, parece impossível para nós vermos Sarah, pelo menos, mais uma vez.Já são 3:00 horas e
o avião deve estar saindo agora. Ainda estamos muito longe do aeroporto. Se você pudesse atrasar o avião, nós poderiamos ver Sarah novamente. Se fizer isso para nós, eu nunca voui cortar o meu cabelo novamente enquanto eu viver, Obrigado Senhor. Amem."
 Quando finalmente chegamos no aeroporto, era quase 5:00. A chuva havia parado, mas o avião não tinha partido, e deixou para sair em outra hora. Encontramos a nossa amiga, e ficamos lá até o avião partir.

Durante muitos anos, eu não cortar o meu cabelo, como eu tinha prometido. Então um dia a esposa do ministro me perguntou: "Por que você não vai cortar o cabelo?" Eu disse a ela o história toda. Então ela disse-me: "Você não sabe que nós não podemos fazer promessas a Deus? Deus não espera que você cumpra tal Promessa. Além disso, você era apenas uma adolescente quando fez essa promessa, tenho a certeza de que Deus não quer que você seja responsável por isso. "
Ouvi-lhe o conselhos e cortei o meu cabelo. Depois, uma coisa aconteceu no ano passado, um ministro falou em nossa igreja e leu Eclesiastes 5:4,5,

Eclesiastes 5:4,5,
4 “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque Deus não se agrada de tolos. O que votares, paga-o.
5 Melhor é que não votes do que votares e não pagares.”

Agora lamento que eu não soube escolher que conselho eu devia seguir. Espero que você saiba.
Mas  estou  decidida a não cortar mais o meu cabelo.
 
 

“”******************************

CAPÍTULO IV

                             DE QUEM ERA A CULPA?
1 Coríntios, 10:31
31 “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus.”

Era domingo a tarde, e tínhamos acabado de chegar da casa da mãe de Phil. Como de costume, comecei a sentir-me desconfortável, e eu disse:
Eu:--- "Phil, tenho uma terrível dor no estômago. O que será que  posso fazer? "
Phil:-- "Acho que você deve ir ver o Dr. H. Estou certo de que ele vai lhe dizer o que fazer. "
Eu fui para ver o Dr. H.e disse, " Dr. H. cada vez que eu como na casa da minha sogra quando chego de volta em casa me dá uma terrível dor no estômago ".
Dr. H.--- "Você tem esta dor apenas quando comi na casa da sua sogra, ou você tem também em casa e em outros lugares?"
Eu:--- "Oh não, não tenho qualquer dor no estômago em casa ou em outros lugares. É apenas quando como na casa da minha sogra. Não tenho idéia porque."
Dr. H:--- "Bem, isso é simples. Sua dor é psicológica. Você necessita de alguns tranqüilizantes. Eis alguns Librium. Cada vez que você for para a casa da sua sogra tome um deles. Você se sentirá muito bem e não terá mais dor no estômago. Diga-me o que acontecerá quando você ir lá da próxima vez."
Eu:--- "Mas, Dr. H, não estou nervoso quando vou lá. Estou muito confortável lá. Eu não posso acreditar que meus nervos sejam o problema, deve ser alguma outra coisa. "
Dr. H:--- "Faça como eu digo, e você vai se sentir melhor, logo, logo."
Então, eu tomei o Librium cada vez que fui para a casa da minha sogra. No entanto, nada mudou, cada vez que eu comia na casa dela, eu tenha dores no meu estômago. Eu estava de boca aberta porque eu nunca tive essa dor em qualquer outro lugar.

Minha sogra italiana sempre preparava um almoço de sete pratos. Quando você comeu em sua casa você tinha que provar de tudo ou seus sentimentos seriam machucados. Eu tinha esquecido que o meu pobre estômago não feito para tanta comida, e eu fiz um porco de mim mesmo só para agradar a ela. Mas nesse momento eu não poderia figurar o que estava causando a dor no meu estômago. Continuei a tomar os Librium, mas eu sabia que não estava me ajudando.
Um dia eu decidi que a sua comida, não concordou com o meu estômago e comecei tirar a comida do estomago. Para minha surpresa a dor foi embora e me senti muito melhor. Agora eu sabia o que fazer quando eu ia para comer em sua casa. Eu joguei o Librium fora e fiz o meu pequeno ato de cada vez que comi lá. Fiquei muito feliz em encontrar uma solução para o meu problema.

Meu plano não durou muito tempo porque o meu marido descobriu que eu estava fazendo, e comunicou ao Dr. H. Ele disse que eu deveria ser levado para um psiquiatra, e deu o nome de um que nós sabíamos. Quando meu marido chegou em casa e me disse o que Dr. H. tinha recomendado, fiquei muito aborrecido com o lhes. Eu sabia o qual era o meu problema. Eu também sabia como resolvê-lo.
Isso foi há trinta anos atrás. Minha sogra faleceu e meu marido e eu também.

Mais tarde, eu comecei a ter mais dores no peito. Liguei para o médico em Bessemer, e ele me disse para ir para a sala de emergência, para exames.
Eles descobriram que tenho uma hérnia hiato. A primeira coisa que o médico disse quando me viu foi: "Você tem um hérnia hiatos. Você deve ter muito cuidado para não comer demasiado. Se comer demasiado, você terá um monte de dor em seu estômago "
Uau! Agora eu sabia que eu não era louca e toda essa agitação, e tudo que eu estava fazendo errado era comer em excesso. Eu tinha esquecido o que a Bíblia diz em Provérbios 23:1-3.

Provérbios 23:1-3
1 “Quando te assentares a comer com um governador, atenta bem para aquele que está diante de ti;
2 e põe uma faca à tua garganta, se fores homem de grande apetite.
3 Não cobices os seus manjares gostosos, porque é comida enganadora.”

Claro que o rei Salomão não está falando literalmente para você por  uma faca na garganta, ele está usando mua metáfora, querendo sómente dizer que não coma muito. Ou, coma sómente o suficiente para matar a fome. Ou, não seja um glutão. A minha sogra não era uma governadora, mas tinha uma mesa tão preparada que um governador podia ter inveja da sua culinaria. Eu também não sabia como evitar o comer em excesso sem ferir os sentiimentos da  minha sogra.
 Graças a Deus hoje eu não tenho mais esse problema. E agora eu sei   De quem era a culpa?

Se não perceberam a culpa era a minha hérnia hiatos.
 
 
 

******************************

CAPITÚLO V

PONDO A CULPA NUM CACHORRO

Um dia o telefone tocou e era a comopanhia elétrica . "Phil, a chamada foi da companhia eletrica, eles querem que a gente pague o que nós devemos, ou eles irão desligar a energia elétrica. "O que você  quer que eu faça? Quer que eu vá roubar um banco? Eu dou-lhe todo o meu cheque, e cabe a você a ser mais organizada, e uma boa mordoma. Se você não sabe como lidar com o dinheiro, não vêm a mim para ajudar. Não estou dando-lhe mais um tostão."

---"Mas Phil, você sabe como as coisas têm ido todos para cima. No entanto você está trazendo o mesmo valor que você trouxe para casa cinco anos atrás. Você não sabe sobre o índice de preços do consumidor subindoaos céu? Você não leu o jornal? "
---"Claro, eu li o jornal. Você sabe que a leitura do jornal é a minha coisa favorita."
---"Então você sabe sobre o índice de preços do consumidor. Está simplesmente ignorando o problema. Phil, você tem essa empresa,e ainda ganha menos do que os seus empregados. Toda a sua preocupação é que a empresa cresça. Todo o dinheiro é colocado de volta na empresa. Isso não é justo. "
---"Eu já te disse que eu não estou dando-lhe mais um tostão. Deixa-me sozinho."
---"Phil, eu vou à cidade hoje para comprar um cachorro. Quero-o para que eu possa criar o meu cão e vender os filhotes. Dessa forma, eu possa ajudar e pagar todas essas contas."
---"Não, eu proibo-a a fazer isso. Nós já temos um cão. Não precisamos de dois cães em uma casa."
---"Mas Phil,  é exactamente por isso que eu quero comprar o cão. Temos Heidi. Ela é tão perfeito. Ela é um dos mais bonitos doberman pincher qu eu já vi. Eu sei que ela terá gorgeous cachorros. O cão que quero comprar é um cachorro de shous de uma excelente linhagem. "
---"Não, eu já te disse que eu não quero outro cão nesta casa. É isso aí não mais."

Ele foi para o trabalho, e eu fui ao centro de Chicago para comprar o cão. Eu raciocinei com mim mesmo: Esse homem quer $ 250,00 para este cão. Eu só tenho $ 150,00. Se ele vende-me o cão de $ 250,00 por 150,00 dólares eu vou saber que Deus está me permitindo desobedecer a Phil.
Quando eu tencontrei o homem da casa, fui direto ao ponto. Eu tirei o meu dinheiro do bolça e coloquei-o em cima da sua mesa. Eu disse, "Eu sei que você quer $ 250,00, mas se você deixa-me ter o cachorro por US $ 150,00 aqui está o dinheiro. "
--- "O cachorro é seu", ele disse.

Fui para casa com o meu prezada posse, um doberman pincher três meses de idade, com todas as boas qualidades de uma excelente espécie. Quando Phil chegou em casa e vio o cão, ele só disse três frazes.
---"Vejo que você comprou o cão. Leve-o para trás, eu não vou ter outro cão nesta casa."
---"Sim, eu comprei-o para o meu preço de 100,00 dólares menos do que o homem queria no início."
---"Leve-o de volta"
---"Não! Ele é meu cachorro." Eu abracei-o como se fosse um bebê e disse a Phil, "Eu não estou indo para levá-lo de volta."
---"OK, mantenha o cão."

Mas ele estava com raiva. Sua voz tinha aprofundado e havia um som de tristeza na sua voz. Ele foi para cima, embalado a mala dele, e saiu a toda preça para o carro. Por dez anos eu orei para Deus traze-lo del volta para casa. Mas ele nunca mais voltou.
Nunca pensei que Phil iria usar uma desculpa tão banal para me deixar, e por toda culpa em um cachorro.

Mas, na realidade a culpa foi toda minha por não saber obedecer a palavra de Deus, pois se eu tivesse me submetido ao desejo do meu marido eu não teria perdido-o. Eu completamente ignorei o que a Biblia diz em Efezios 5:22

Efezios 5:22
22 “Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor;”

No entanto Deus me perdoou como poderão ver na seguinte historia.
 
 

******************************
 

CAPITÚLO VI

O MARAVILHOSO CUIDADO QUE DEUS TEM POR NÓS

Após Phil me deixar Eu comecei uma vida nova, e comprei mais cães para fazer um verdadeiro canil. Depois de um ano ou assim, eu decidí vender todos os cães e fechar o canil. Com o dinheiro que fiz na venda dos cães, além de um bom cheque que Phil me deu, eu decidí fazer algumas viagens pela América do Sul.

Fiz muitas viagens aqui e no estrangeiro, e a melhor parte de todas as minhas viagens é ver o cuidad que Deus tem por mim. Nesta história, vou
mencionar algumas das coisas que aconteceram comigo que somente Deus poderia ser o autor, com tanta proteção e cuidado. Não acredito em
coincidências, mas eu acredito plenamente na Divina intervenção.

Voei para Miami para ir ao Brasil, e quando eu cheguei lá eu descobri que o meu avião para o Brasil não sairia por mais seis horas. Eu não queria
sair do aeroporto,e me sentei num banco para observar as pessoas do aeroporto. Em um aeroporto, há uma variedade de pessoas de todas as esferas da vida, e também todos os tipos de nacionalidades. Eu particularmente desfrutei observando as famílias. Gosto de como as crianças responderam a comandos de seus pais.

As horas passaram mais rápido que eu sempre sonhei, e fiquei surpresa quando ouvi o meu voo anunciados no alto falante. Eu embarquei no avião, e em um curto espaço de tempo caí num sono. Eu dormi a noite toda. Na manhã seguinte uma aeromoça acordou-me para o café da manhã. Não foi muito tempo depois que nós comemos, que nós desembarcamos em Belém, uma cidade no Pará, um estado do Brasil.

Eu estava sozinho. Eu não tinha ninguem viajando comigo, e toda minha viagem estava agora apenas começando. Meus planos eram de ficar afastado de todo o Inverno e do clima frio de Chicago. Logo que o avião aterrou, todos tiveram de deixar o avião. Do lado das escadas do avião que os passageiros foram utilizados para saia, o asfalto foi áspero e antigo. Os edifícios do aeroporto foram todos também baem velhos, ainda assim foi maravilhoso pizar no solo do meu país nativo. Eu estava finalmente no Brasil. No aeroporto, tivemos que abrir as nossas malas para inspecção. É algo que sempre chegamos em outro país, nós temos que ir a alfândega. Eles olharam para o meu passaporte, e me perguntaram se eu estava a regressar ao Brasil de u ma vez. Eu disse a eles que eu estava indo para ficar por um tempo.

Eles carimbaram o meu passaporte, e daeram-me de volta. Um outro avião levou-me para o Recife, a minha terra natal. Eu já estiva longe de casa há 23 anos. Eu também tinha parado de me corresponder com meus amigos, e meus familiares estavam quasi tidos morando nos Estados Unidos,mas a alguns ainda estavam no brazil naquele tempo, então eu estava um pouco apreensiva de como seria recebida. Mas Ah! Que surpresa para ver meus parentes me esperando no aerooporto com braços abertos. O aeroporto de Recife era tão moderno como o aeroporto, dos E.U.A.. Todas as ruas foram pavimentadas com asfalto e bem conservados.

Minha casa antiga ainda estava lá. Obviamente alguém viveu nele. O enorme supermercado ainda era o mesmo. O mais impressionante foi a diferença
da construção de novas estradas. Uma rua que nos levou uma hora para ir de Recife a Olinda ficou tão moderno que fizemos a viagem em 15 minutos.
Passei um mês lá visitando todos os meus jovens amigos e parentes. Minha irmã Cleodice me levou para todo o lado. Quando eu era uma criança nós tinhamos uma amiga chamado Maria Barboza. Eu realmente queria vê-la antes de deixar esse estado, mas ela vivia em um em uma Academia Adventista do Sétimo Dia cerca de seis horas de carro, de Recife. Eu não tinha um carro para ir até lá, então eu decidí ir de ônibus. Eu fui para o ponto de ônibus, e perguntou o que  ônibus iria me levar Belen De Maria a cidade onde estava a academia.

Esta foi a minha primeira experiência em reconhecer como Deus cuidou de mim. No ponto de ônibus, disseram-me para tomar ônibus 15 *. Eu comprei o bilhete, e fui para procure o ônibus 15. Havia mais de 20 linhas de ônibus, e sem sinais indicando qual o número que eles eram. Cada linha tinha pessoas à espera de seus respectivos ônibus. Eu não tinha idéia do que a linha ficar esperando.  Eu comecei a olhar ao redor para ver se eu podia ver uma linha com os jovens que vão para a escola. Quando eu vi um homem jovem em uma das linhas, eu andei para ele e perguntei se ele sabia o que iria para a linha Belen De Maria. Ele disse-me:
---"Este aqui, vou lá também."
---Eu: - "Você é por acaso, um estudante do EDUCANDARIO Nordestino AVENTISTA?"
---Ele: - "Sim, eu sou. Eu vou lá agora, e você vai também?"
---Eu: - "Sim, eu vou, mas não tenho idéia de como chegar lá. O homem que me vendeu o bilhete disseram-me para tomar o ônibus 15, mas as linhas não são marcadas, e eu não tinha nenhuma maneira de saber qual era a linha de ônibus 15. Isso foi quando eu te vi, e perguntei-lhe se sabia o que linha é esta. Graças a Deus eu encontrei você. Poderá dizer-me quando chegarmos lá, onde eu deveria sair? Eu nunca tinha estado lá antes, e eu não sei o que a escola parece. O ônibus faz paragem de em frente da escola? "
---Ele: - "Claro, eu posso dizer para onde sair, mas o ônibus não para em frente à escola. Depois que sair, temos de caminhar cerca de uma milha, mas não se preocupe, vou te ajudar com sua bagagem. "

---Eu: - "Você sabe o que? Eu acho que Deus apontou você para mim.  Existem centenas de pessoas aqui à espera de seus ônibus, mas com todas essas pessoas que eu só vim para você. Você é um Adventista do Sétimo dia como eu? Eu sei que você vai para uma das nossas escolas, mas muitos dos estudantes não são de nossa denominação. Qual denominação é sua? "
---Ele: "Eu sou um ASD como você. E foi Deus que me apontou para ti. Todos os meus amigos voltaram para a escola ontem, e eu tinha planos para voltar com eles também, mas tive alguns problemas que manteve-me de volta e fui obrigado a atrasar a minha viagem até hoje. Se eu tivesse ido para a escola ontem eu não sei em todo o mundo como você iria encontrar a escola. Eu concordo com você que Deus me previsou para guiá-la."

Fizemos uma maravilhosa viagem para a escola. Em cada cidade que nós viemos mediante; o ônibus parou e vendedores com todos os tipos de mercadorias viriam até o ônibus, e vendê-las aos passageiros. Ainda posso lamber meus lábios como sabor desses alimentos brasileiros. Comprei Tapioca com Coco, Castanha Assada, Mamão, e outras delícias brasileiras. Quando chegamos à cidade onde a escola era, meu novo jovem amigo me disse que nós estávamos quase lá. Eu vi umas enormes montanhas e um rio no vale, e eu perguntei se esse rio passava pela escola. Perguntei-lhe sobre isso, e ele disse-me que o rio correu bem até a escola. Ele também me disse que todos os alunos nadaram no rio. Como é maravilhoso ver Deus cuidando de seus filhos. Ele coloco-os neste belo lugar e Ele até deu um rio para os alunos a nadarem.

Quando entramos na escola, uma jovem veio para cumprimentar-me e perguntou-me se eu tinha chamado a escola com antecedência para reservar um lugar. Eu fiquei um pouco envergonhado com isso porque eu tinha pensado que a escola teria um lugar para visitantes inesperados. Pedí desculpas por negligenciar este detalhe importante. Então ela disse-me: "Ótimo! Você pode ficar comigo! Vou fazer os acordos com o reitor dos alunos. Venha comigo e eu vou lhe mostrar a sua cama."

Ela me levou para seu quarto, e mostrou-me uma cama feita com todos agradavelmente fresco e com todos os linhos bem limpo. Então ela disse, "esta é a tua cama." Ela pegou minha mala e coloco-a em cima de uma cômoda, e disse-me que eu poderia utilizá-lo para a minha roupa. Depois que ela tinha me acomodados ela me levou para o reitor e introduziu-me a ela como seu convidado privado. Eu não poderia ajudar, mas pergunto por que Deus é tão gentil comigo, e me mostrar Sua bondade, através destes jovens. À noite, quando todas as aulas terminaram o meu novo amigo foi comigo para visitar a minha velha amiga Maria Barboza. Sua casa foi de cerca de meia milha do dormitório. Que delícia para encontrar novamente com uma SAINTA de Deus. Eu era muito jovem quando os meus pais e eu a conhecemos. Naquela tempo ela morava no interior do Brasil, e sempre que ela ia para Recife, ela passava a estadia em nossa casa como um convidado especial. Nestas ocasiões ela dizia-nos todas as suas experiências pessoais com as pessoas por causa de sua perseguição a nossa religião. Algumas vezes ela tinha que passar a noite na floresta escondeda dos perseguidores. Lembro-me de perguntar a ela se ela não estava com medo de dormir fora no aberto, e ela sempre disse que o seu anjo da guarda estava ali com ela, protegendo-a.

À medida que os anos foram se passando, as pessoas do interior começaram a saber mais sobre Deus e parou de perseguir os crentes. Ela stava então livre para trabalhar para o Senhor. Ela converteu sua casa em uma miniatura de hospital. Pessoas de toda parte vieram ter com ela para  tratamentos. Eu perguntei a ela onde ela tinha obtido tanto conhecimento médico, mas eu acho que Deus instruiu diretamente a ela. Não havia médicos por muitos quilômetros, onde ela vivia, de modo que sempre que houve um acidente eles iriam para ela lhes ajudar. Ela me disse que, uma vez que algumas pessoas trouxeram uma criança com o cérebro saindo do cranio, mas o menino ainda estava vivo. Ela colocou o cerebro de volta dentro da cabeça, e untou-o da melhor maneira que ela sabia, e deu a criança de volta para os pais. Perguntei-lhe como ela pôde fazer tudo isso. Sei que seria apavorada com uma situação como essa. Ela me disse que ela tem toda a sua força a partir de DEUS, e que sem Ele ela não era nada, e que tinha cido Deus que tinha salvo a vida do menino, e não ela. Ficamos na casa dela por algumas horas.

Eu ensinei-lhe o nosso ABC do método de oração que eu tinha aprendido de Pastor Glen Coon. Após isso, meu jovem amigo, e eu voltamos para  o dormitório. Cerca de seis horas do dia seguinte, Maria Barboza chegou ao dormitório para se encontrar com comigo mais uma vez. Ela não saio de lá até que eu estava dentro do ônibus para voltar para casa da minha irmã em Recife. O ônibus saio a cerca de 9 a.m. e agora, mais uma vez, eu estava viajando sozinho, somente "O SENHOR E EU".

Em Recife eu tinha alguns parentes, um deles era um primo chamado Almério, que foi um engenheiro no exército. Ele fez lagos, represas, e tudo
que foi feito com água. Ele estava muito orgulhoso de seu trabalho. Ele me perguntou se eu queria ir com ele para um clube militar para ver algumas das coisas que ele tinha feito. No início da manhã ele chegou para me levar para o seu clube. Estávamos quase lá, quando ele me perguntou se eu já tinha visto como os tijolos foram feitos.  Antes de eu responder, ele já estava dirigindo  a uma fabrica de tijolo a mais importante onde os trabalhadores eram burros. O prédio tinha uma porta grande como um porta de garagem, e estava aberta. Dentro dele, havia várias colinas com marcação dos locais onde os burros se locavam. O edifício foi de cerca de cem por duzentos metros quadrados, e não tinha nada dividindo o interior. Em uma colina, foi uma linha de seis burros, um atrás do outro. Em cima dos burros, houve grandes cargas de barro cru, que tinha acabado de chegar do rio, onde tinham cido escavados. Eu estava em pé em cima de uma das colinas longe do burros, quando um homem gritou para mim:

---"SENHORA! Saia dai rapidamente. É aí que o burro vai em seguinte quando acabarmos o DESCARREGAMENTO dele ".
Rapidamente corrí para outro local, mas o mesmo homem gritou de volta para mim que os burros iriam lá também. Corri para o lado da parede do edifício, e o burro foi exatamente para o local onde eu estava. O homem estava trabalhando em um lugar, e um rapaz de 12 anos, foi a descarregar
os burros. Um por um, ele foram descarregados, cerca de seis burros. Depois de todos os burros, estarem isentos de suas cargas, eles formaram uma linha de um o jumento após o outro até que todos os burros estavam na mesma linha. Quando o último burro tomou a sua posição sobre a linha, todos os burros sairam correndo para o rio e o menino calmamente seguiu-os. Eu disse para Almério:
---"Será que o rapaz é capaz de capturar os burros quando eles estão tão longe dele?"
Almério simplesmente disse:
--- "Vem, eu quero te mostrar uma coisa."

Temamos o seu carro e ele conduziu-nos até a borda do rio. Fiquei muito surpreendida ao ver os mesmos burros alinharem-se na beira do rio, e um grupo de meninos entrarem nas aguas. O primeiro menino ainda estava a pé e os outros meninos já estavam carregando o primeiro burro com uma nova carga de matéria-prima, o barro que estavam cavando a partir do banco do rio. Quando todos os burros tinham uma nova carga de argila, que correram de volta para o prédio a ser descarregadas novamente. Eu estava boquiaberta. Eu nunca vi nenhum animal trabalhar com tanta precisão. Não ouvi uma palavra falada o tempo todo. Os animais sabiam exactamente o que fazer a seguir sem ser ordenados.

Deixamos os burros cheios de admiração de como o nosso Pai tinha dado tanta inteligência para uma de Suas criaturas. Nós finalmente chegamos ao  clube militar e Almáerio levou-me para ver tudo do clube, e me apresentou a todos os seus amigos. Gostei da coisa toda, mas eu não podia parar de pensar nos burros. Isso era onde eu podia ver as mãos de Deus trabalhando.

Enquanto em Recife o Senhor me deu muitos guias. Meus amigos Dr. Rushansky e o Dr. Edvard Araujo me levaram para muitos lugares que
do caso contrário eu não teria visto. Que Deus abençoe a cada um que me ajudou, enquanto em Recife.

De Recife, fui a Brasília a capital do Brasil. Depois que eu tinha me alojado em um hotel muito bonito, eu liguei para uma velha amiga, que vivia lá. Em
 pouco tempo ela chegou com o marido. Foi maravilhoso encontrar-me com eles outra vez. O marido dela era o presidente do Congresso Brasileiro, e ele imediatamente ofereceu para ser o meu guia. Cada dia que ele veio me me buscar e levar para ver toda a cidade. Ele ficou me explicando todo os detalhes do lugar. Como a cidade foi dividido em seções específicas para cada coisa. Como foi só uma seção para as igrejas, e um capítulo só foi para os funcionários governamentais, e outro para as escolas, e outra para lojas, e assim por diante. O terreno em Brasília é um vermelho brilhante como o terreno em Alabama. O único corpo de água era um homem feito lago no meio da cidade. No Brasil chove muito, e como de costume começou a chuva. Não é tão bom para ir ao redor do passeio quando estar chovendo, ois e muito melhor quando o sol está brilhando, mas assim mesmo  tínhamos um bom tempo.

Finalmente eu tinha de seguir em frente, e ainda estava chovendo. Fui para o aeroporto, e descobrí que todos os voos estavam interrompidos. Perguntei-lhes se houve alguma esperança de que os voos iam começar de novo, e eles me disseram que eles estavam prestes a começar voar novamente. Encontrei um lugar para sentar, e esperei para o meu avião. Eu esperei por cerca de cinco horas, mas finalmente eu tive um avião e voei para a minha próxima cidade que foi Bello Horizonte, a capital do estado de Minas Gerais.

Quando eu tinha dezoito anos, como aluna na Escola de Belas Artes da Universidade do Recife, eu tinha aprendido sobre um famoso escultor chamado "ALEJADINHO". Seu nome significa o aleijado. Ele tem o nome, pois ele foi realmente aleijado, mas ainda assim ele se tornou um dos mais
 famosos escultores no Brasil. Eu sabia que a maioria de suas obras estavam em Minas Gerais, de modo que a coisa que eu queria mais ver eram a sua obra. Tomei um quarto em um hotel, e chamei um amiga da minha juventude que morava nesta cidade. O nome dela era Ruth Oliveira. Nós tínhamos o mesmo quarto no dormitório das meninas quando éramos estudantes em um das nossos escolas Adventistas no estado de São Paulo. Rute contou-me que a maioria de suas obras estavam em uma igreja católica em uma cidade chamada Ouro Preto. Eu tomei um ônibos e comprou um bilhete para Ouro Preto, e fui para ver as obras do Alejadinho. Quando eu cheguei em Ouro Preto o sol estava fora. Eu perguntei onde estava a igreja de San Francisco, e   eles apontaram a Igreja e para mim. Eu caminhei até a igreja, e fiquei absolutamente espantada com a beleza da obra de um escultor que, para fazer o seu trabalho tinha que ter alguém para amarrar as ferramentas ao redor de suas mãos para ele trabalhar. Eu nunca vê tanta determinação como eu poderia ver neste trabalho. Ele me mostrou que nada é impossível quando queremos fazer alguma coisa. Eu tomei vários
fotos, e não mae cançei de contemplar as estátuas. Não sei quanto tempo eu estava ali, mas de repente eu percebi que estava chovendo lá fora.

Eu caminhava para a parada do ônibus, e quando eu estava lá uma senhora me disse que eu precisava ir para o depósito de ônibus para obter o meu bilhete. Eu pensei que eu poderia comprá-lo no ônibus, mas ela disse-me que se eu não tivesse um bilhete que não iria deixar-me viajar. Ela me disse que onde estava o depósitoi, e eu caminhei para o depósito sob uma chuva torrencial. Eu comprei o bilhete e caminhei de volta para a parada do ônibus. Minha roupa estava toda molhada. No ônibus, me sentei atrás do condutor; orque queria sair rápido quando eu chegasse ao meu destino. Incrível como seja o Senhor salvou-me de adoecer. Fui para o hotel e tomei um banho quente, depois que eu comí uma refeição calorosa e fui à janela para ver a chuva. No sábado minha amiga Ruth me apanhou e me levou a para a igreja, em seguida, para a casa dela para um soberbo jantar.
Ainda estou admirada de com Deus cuidou de mim em todos esses lugares.

De Bello Horizonte, fui para o Rio de Janeiro para um encontro com todos os meus parentes que moravam lá. Eu liguei para frente e perguntei ao meu irmão Renildo para esperar-me no aeroporto. Eu não tinha visto o meu irmão há quase dez anos, e eu estava muito anciosa para vê-lo. Ele estava esperando por mim, e tivemos uma fantástica reminiscecia dos nossos tempos antigos. Ele me levou para seu apartamento em Copacabana, uma das mais famosas praias do Brasil. Da sua janela da frente podíamos ver o Montanha Pão de Açúcar, e toda a Baía de Guanabara. Ele me levou para todos os principais centros de atração, como Corcovado, onde temos a maior estátua de Cristo em todo o mundo. A partir de cada lugar no Rio, podemos ver a estátua de Cristo com seus braços estendidos, como se Ele estivesse abençoando a cidade toda. Visitámos também todos nossos parentes. Eu fiquei no Rio por um mês inteiro. Então, continuei na minha excursão do Brasil, e foi para São Paulo onde fiquei mais um mês.

De São Paulo, eu tinha ainda mais um lugar para visitar, "A Foz do Iguasu". Eu tinha um bilhete de avião até lá e deois um par voltar para o Rio ou São Paulo, onde eu iria tomar outro avião de volta para os Estados. Tomei o avião e voei para a "Foz do Iguasu". Quando cheguei no aeroporto, eu chamei um táxi para me levar para um hotel. Eu tinha feito uma reserva no "Hotel das Cataratas", mas eu sabia que esse hotel era muito caro, então eu perguntei ao motorista se houve um hotel menos caro, e ele me disse que havia um outro hotel, e ele tinha certeza que era menos dispendioso do que o "Hotel das Cataratas ", então eu disse a ele para me levar lá, e ele o fez. Perguntei se havia um quarto no primeiro andar, e disseram que não, e a única sala disponível foi no piso térreo. Eu disse que gostaria de te-la. O quarto estava em um piso com o fundamento de fora como um porão. Eu não gostei  muito, mas não havia outra escolha.

Do Brasil, fui para mais três países. Enquanto no Brasil, fiz todas as minhas viagens de avião, mas quando saí do Brasil, eu queria ver a paisagem, por isso, fui de ônibus. Eu visitei Buenos Aires, na Argentina, Assunção, no Paraguai, e Montevidéu, no Uruguai. Em cada cidade eu tive que mudar o dólar para a moeda do respectivo país. Fiquei absolutamente exausta da coisa toda. Em meu caminho de volta para o E.U.A. Parei em uma cidade no sul do Brasil chamada Porto Alegre. Depois que eu saí do ônibus, peguei um táxi e pedí ao motorista para me levar para o hotel barato na cidade.
---Driver: - Por favor, Senhora, não queira fazer isso!
---Eu: Por que não? "
---Driver-Oh Senhora, os hotéis mais baratos são muito perigosas. Apenas a classe baixa são as pessoas que vão par eles. Há muito crime acontecendo nesses hotéis, especialmente roubos. Eles roubam tudo, até mesmo os pentes de cabelo.
--- Eu: - Então, onde devo ir? Não quero gastar muito dinheiro em hotéis, porque ainda tenho muito a percorrer e é uma longa distância. Que opções eu tenho?
---Driver:-Os hotéis de primeira classe são muito caros, por isso aconselho a ir a um hotel de segunda classe. Existem quatro categorias de hotéis, mas para você, eu tenho certeza de que o melhor para o seu caso é a segunda classe.
--- Me - Ok, leve-me para um hotel de segunda classe.

Ele me levou a um hotel de segunda classe em cima de uma colina. O edifício era uma mistura de moderno e antigo ao mesmo tempo. Parecia tão bonito que eu pensei que ele tinha me levado para um hotel de primeira classe. Todos os quartos foram ocupados excepto um comodo no terceiro andar. Eu toemi o quarto, mudou o meu vestuário e fui para um passeio pela cidade. Era sexta-feira e comecei preparando para o sábado.
Fui a uma enorme feira, e comprei algumas frutas e pão, para o dia seguinte. Eu não queria comer no restaurante no sábado. No dia seguinte
tomei uma lista telefónica e olhei para o endereço de uma Igreja Adventista do Sétimo dia. Fiquei tão surpreso ao descobrir que a Igreja era apenas um quarteirão de distância do hotel. Eu sabia que Deus estava comigo quando Ele disse ao motorista do táxi para me levar lá naquele hotel tão pertinho da igreja. No sábado, fui à igreja, e tive um delicioso momento. Que prazer de ouvir o sermão na minha língua nativa, que é o Português.

Durante as últimos três semanas fora do Brasil, eu tinha ouvido todos os sermões em espanhol e não tinha entendido metade deles. Agora foi uma coisa diferente. Eu estava em casa, e me senti tão bem. No dia seguinte foi domingo, e eu andei por toda a cidade toda a manhã. Caminhei colinas acima, e colinas para baixo e finalmente de volta para o hotel.  Porque eu sou uma vegetariana eu decidi comer todas as minhas refeições direito no meu quarto. A comida do restaurante era muito delicioso, mas muito gordurosas.

Depois que acabei de comer, fui ver a rua de uma janela no final de um longo corredor. Não estava lá muito tempo quando ouvi a voz profunda de um homem por detrás mim. Virei-me e descobri um homem de cerca de 25 anos de pé com ambas as mãos nas paredes bloqueando a minha passagem completamente. Ele era alto e provavelmente pesava uns 80 kgs. Tinha olhos azuis com cabelo castanho sujo e  gorduroso. Suas longas estavam sujas e roupa também. Seu cabelo era longo e despenteado como se não tivesse visto um pente por longo tempo. Ele parecia absolutamente repugnante. Olhei-o e disse:
---"O que você quer?"
---Ele: - "Você sabe o que eu quero. . .".
---Eu: "Você deve estar fora de sua mente! Sou uma mulher velha, por que você me quer? Há um monte de garotas por aí da sua própria idade. Por que não vai atrás delas? Você não me conhece, não precisa de mim. Por favor, deixe-me ir. Estou muito cansada e preciso de repouso. Então, por favor, deixe-me passar. "
---Ele: "Claro! Mas eu vou com você."
---Eu: "Não! Você não pode ir comigo. Vá lá fora na rua e encontrará uma menina da sua idade. Vá em frente."
---Ele: "Oh, não! As garotas de lá têm doenças, você não, é por isso que eu quero você."

Ao dizer isso ele deu um passo para mais perto de mim e começou a alisar o meu cabelo com as suas mãos sujas. Eu suas mãos e falei silenciosamente com Deus. Pedi a Deus que enviasse Seus anjos para me proteger. E continuei a falar com o homem.
-- Eu: "Por favor, senhor, deixe-me ir para o meu próprio quarto."
-- Ele: "Claro! Mas eu vou com você."
-- Eu: "Não! Você não pode ir comigo. Olha, eu sou uma serva de Deus e não faço essas coisas que você quer. Estou escrevendo um livro sobre Deus e tenho que me manter limpa. Então, por favor, deixe-me ir. Posso ir agora? "
---Ele: "Vá em frente, não estou detendo você. Apenas mostre-me o seu livro e eu lhe deixo sozinha."
---Eu: "Eu já lhe disse que o livro é escrito em inglês, e você não entende o idioma."
---Ele: "Quero ver o seu livro, mostre-me. Quero aprender mais sobre Deus. De qualquer maneira, porque é que Jesus veio a terra?"
---Eu: "Jesus veio para a Terra para salvar pessoas como você e livrar-nos do diabo, e para nos dar a vida eterna."
---Ele: "Quero ver o seu livro, mostre-me. Eu quero aprender mais sobre Deus."

Quando ele disse isso, colocou as duas mãos no meu pescoço como se quisesse me matar. Imediatamente, coloquei meus braços dentro dos seus e forcei os seus para longe. Isso o obrigou a tirar os braços do meu pescoço. Enquanto fazia isso orava silenciosamente por ajuda e reclamava a promessa de Deus de Lucas 10:19:

Lucas 10:19
19 “Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algum.”

Então, como se pudesse ler a minha mente, ele disse: "Senhora, você tem muito poder."

Mas novamente colocou as mãos nas paredes bloqueando a minha saída. Era cerca de duas horas quando eu tinha descoberto esse homem atrás de mim, e agora era já perto de cinco, e eu não sabia o que fazer quando de repente uma porta se abriu e um homem saiu de seu quarto. Quando vi o homem, senti que era a minha chance de escapar. Eu me precipitei de sob os seus braços, e corri. Passei pelo outro homem e continuei correndo, descendo as escadas para o primeiro andar. Quando cheguei lá encontrei gerente do edifício e contei-lhe toda a história do que havia ocorrido. Eu disse a ele que o quarto do homem era número 314, e pedi-lhe para ligar para a polícia.

---Gerente: "Você quis dizer quarto 314?"

---Eu: Sim, eu disse quarto 314. Por que está tão surpreso?

---Gerente-"Sabe quem está hospedado no quarto 314? Bem, certamente não. Mas o homem no quarto 314 é um funcionário governamental. Não creio que devíamos chamar a polícia para um funcionário do governo. Quer que eu lhe transfira outro quarto? Eu posso pedir a algumas de minhas pessoas trocarem de quarto com você, se desejar.

---Eu: "Não, eu não penso assim. Amanhã parto, por isso não vejo a necessidade de mudar de quarto por uma noite só peço que me acompanhe ate lá em cima."

O gerente foi comigo até o lugar e encontramos o homem do governo à minha espera. O gerente o levou para o seu quarto e pediu-lhe para me deixar em paz. E também o transferiu para outro quarto.

No dia seguinte saí de Porto Alegre, com o coração cheio de gratidão a Deus porque agora podia voltar para casa sem nenhum dano. Em toda minha vida nunca pensei que iria ser atacada por um homem tão maligino.

No entanto, eu podia ver claramente e mais do que nunca,

O MARAVILHOSO CUIDADO QUE DEUS TEM POR NÓS

***************

 Eu não lhe cobro para você ler meu livro, mas poderia me dar uma recompensa,
é somente me mandar um e-mail dizendo que o está lendo.
Nem precisa me dar a sua opinião, é somente para
eu saber que alguem está lendo o meu livro
e o meu trabalho não foi em vão.

Escreva para: cleliabrito23@yahoo.com.br

 Click aqui para ir para a proxoma página
 

Por favor me escreva dizendo que está lendo este livro,
eis em baixo o meu endereço

 cleliabrito23@yahoo.com.br

 

*************************** 

Outras Opções

profazenilto@hotmail.com



Clique aqui para ir para a página do Prof. Azenilto

  Clique aqui para para ir para a página de Historietas-Didaticas"

Clique aqui para ver artigos sobre Os"DEBATES CATÓLICOS"

Clique aqui para ver artigos sobre as "DOUTRINAS CATÓLICAS"

 Clique aqui para ver artigos sobre  SÁBADO OU DOMINGO

 Click aqui para ver artigos sobre a "Imortalidade"

 Click aqui para ler sobre as leis dietéticas

 Click aqui para ver artigos sobre as divisões das leis

 Clique aqui para voltar aos outros artigos

 Clique aqui para ir para os Artigos Numerados

 Ministerio Sola Scriptura