Voltando ao tema de Pedro, o texto a seguir foi adaptado
do SDA Bible Commentary, Vol. 5:

Atos 4:8-12
8 “Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Autoridades do povo e vós, anciãos,
9 se nós hoje somos inquiridos acerca do benefício feito a um enfermo, e do modo como foi curado,
10 seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, nesse nome está este aqui, são diante de vós.
11 Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como pedra angular.
12 E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em quedevamos ser salvos.”

1 Pedro 2:4-8
4 “e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa,
5 vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo.
6 Por isso, na Escritura se diz: Eis que ponho em Sião uma principal pedra angular, eleita e preciosa; e quem Nela crer não será confundido.
7 E assim para vós, os que credes, é a preciosidade; mas para os descrentes, a pedra que os edificadores rejeitaram, esta foi posta como a principal da esquina,
8 e: Como uma pedra de tropeço e rocha de escândalo; porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.”
 

Pedro, a quem as palavras foram dirigidas, enfaticamente nega que por tais ensinos, a rochaa que Jesus se referia era Ele, Jesus (Atos 4:8-12; 1 Pedro 2:4-8). Mateus registra o fato de que Jesus novamente empregou a mesma figura de linguagem, sob circunstâncias que claramente sugerem que o termo deve ser entendido como aplicável a Ele (Mat. 21:43; cf. Lucas 20:17, 18).

Atos 4:8-12
“Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Autoridades do povo e vós, anciãos,
9 se nós hoje somos inquiridos acerca do benefício feito a um enfermo, e do modo como foi curado,
10 seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, nesse nome está este aqui, são diante de vós.
11 Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como pedra angular.
12 E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos.”

1 Pedro 2:4-8
“e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa,
5 vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo.
6 Por isso, na Escritura se diz: Eis que ponho em Sião uma principal pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido.
7 E assim para vós, os que credes, é a preciosidade; mas para os descrentes, a pedra que os edificadores rejeitaram, esta foi posta como a principal da esquina,
8 e: Como uma pedra de tropeço e rocha de escândalo; porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.”

Mat. 21:43
43  “Portanto eu vos digo que vos será tirado o reino de Deus, e será dado a um povo que dê os seus frutos.”

Lucas 20:17, 18
17  “Mas Jesus, olhando para eles, disse: Pois, que quer dizer isto que está escrito: A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como pedra angular?
18 Todo o que cair sobre esta pedra será despedaçado; mas aquele sobre quem ela cair será reduzido a pó.”

Desde tempos bem remotos a figura da rocha era empregada pelo povo hebreu como um termo específico para Deus (Deut. 32:4; Sal. 18:2, etc.). o profeta Isaías fala de Cristo como a “grande rocha numa terra cansada 32:2), e como uma “preciosa pedra de esquina, um seguro fundamento” (28:16). Paulo afirma que Cristo era a Rocha que estava com o Seu povo em tempos antigos (ver 1 Cor. 10:4; cf. Deut. 32:4; 2 Sam. 22:32; Sal. 18:31).

Isaías 32:2
2  “um varão servirá de abrigo contra o vento, e um refúgio contra a tempestade, como ribeiros de águas em lugares secos, e como a sombra duma grande penha em terra sedenta.”

Isaías 28:16
 16“Portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que ponho em Sião como alicerce uma pedra, uma pedra provada, pedra preciosa de esquina, de firme fundamento; aquele que crer não se apressará.

Deut. 32:4
 4Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniqüidade; justo e reto é ele.”

Sal. 18:2,
 “O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo, em quem me refúgio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

1 Cor. 10:4
4 “e beberam todos da mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os acompanhava; e a pedra era Cristo.”

Deut. 32:4
 4 “Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniqüidade; justo e reto é ele.”

2 Sam. 22:32
 32 “Deus é a minha grande fortaleza; e ele torna perfeito o meu caminho.”

Sal. 18:31
 31 “ Pois, quem é Deus senão o Senhor? e quem é rochedo senão o nosso Deus?”

Jesus Cristo é a “rocha de nossa salvação” (Sal. 95:1; cf. Deut. 32: 4, 16, 18). Ele somente é o fundamento da igreja, pois “nenhum outro fundamento poderia ser posto, além de Jesus Cristo” (1 Cor. 3:11), “nem há salvação em nenhum outro” (Atos 4:12).

Deut. 32: 4, 16, 18
 4“Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniqüidade; justo e reto é ele.
16 Com deuses estranhos o moveram a zelos; com abominações o provocaram à ira:
18 Olvidaste a Rocha que te gerou, e te esqueceste do Deus que te formou.”

1 Cor. 3:11
 11 “Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.”

Atos 4:12
2 “E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos.”

Intimamente associados com Jesus Cristo que é “a principal pedra de esquina" no fundamento da igreja estão os apóstolos e profetas(Efés. 2:20). No mesmo sentido que Cristo é a Rocha, “uma pedra viva, desprezada pelos homens mas escolhida por Deus,” todos quantos crêem Nele, “como pedras vivas, são edificadas como um edifício espiritual” (1 Pedro 2:4, 5), no qual todo edifício bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor (Efés. 2:21). Contudo, Jesus é e sempre será a única Rochasobre a qual toda a estrutura se apóia, pois sem Ele não haveria igreja nenhuma. Fé Nele como o Filho de Deus torna-nos possível também tornar-nos filhos de Deus (ver João 1:12; 1 João 3:1, 2).

João 1:12
12  “Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus;”

1 João 3:1, 2
1 “Ora, havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.
2 Este foi ter com Jesus, de noite, e disse-lhe: Rabi, sabemos que és Mestre, vindo de Deus; pois ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.”

A percepção de que Jesus Cristo é verdadeiramente o Filho de Deus, como Pedro enfaticamente afirmou como registrado em Mateus 16:16, é a chave para a porta da salvação. Mas é incidental, não fundamental, que Pedro fosse o primeiro a reconhecer e declarar sua fé, que, na ocasião em que o fez, falava como porta-voz de todos os discípulos.

Mateus 16:16
 16 “16 Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.”

Agostinho (cerca de 400 AD), o maior dos teólogos cristãos dos primeiros séculos, deixa a seus leitores decidirem se Cristo aqui designou-Se a Si mesmo ou a Pedro como a rocha (Retractaciones i. 21. 1). Crisóstomo, o pregador língua de ouro, outro Pai dos primeiros séculos, declara que Jesus prometeu lançar o fundamento da igreja sobre a confissão de Pedro [não sobre Pedro], mas noutra parte chama a Cristo mesmo nosso verdadeiro fundamento (Comentário Sobre Gálatas, cap. 1:1-3; Homílias Sobre 1 Timóteo, nº xviii, cap. 6:21). Eusébio, o historiador da igreja primitiva, cita Clemente de Alexandria como declarando que Pedro e Tiago e João não lutavam por supremacia na igreja de Jerusalém, mas escolheram a Tiago o Justo como líder (História Eclesiástica, ii. 1). Outros Pais da igreja primitiva, tais como Hilário de Arles, ensinavam a
mesma coisa.

Gálatas 1:1-3
1  “Paulo, apóstolo (não da parte dos homens, nem por intermédio de homem algum, mas sim por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos),
2 e todos os irmãos que estão comigo, às igrejas da Galácia:
3 Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo,”

1 Timóteo 6:21
21 “a qual professando-a alguns, se desviaram da fé. A graça seja convosco.”

Foi quando se buscava suporte escriturístico em favor das reivindicações do bispo de Roma para o primado da igreja que as palavras de Cristo nessa ocasião foram tomadas de seu contexto original e interpretadas para significar que Pedro era essa rocha. Leão I foi o primeiro pontífice romano a reivindicar (cerca de 445 AD) que sua autoridade derivava de Cristo mediante Pedro. Dele, Kenneth Scott Latourette, destacado historiador eclesiástico, declara: “Ele insistia em que por decreto de Cristo, Pedro era a rocha, o fundamento, o porteiro do reino celestial, estabelecido para ligar e desligar, cujos julgamentos conservavam sua validade no céu, e que mediante o Papa, como seus sucessores, Pedro continuava a realizar a atribuição que lhe havia sido confiada” (A History of Christianity [1953], pág. 186)

É verdadeiramente estranho que se isso realmente fosse o que Cristo quis dizer, nem Pedro nem qualquer dos demais discípulos, nem outros cristãos por quatro séculos desde então, descobriram o fato!

Também é fato extraordinário que nenhum bispo romano haja descoberto esse sentido nas palavras de Cristo até que um bispo no século V achou algum apoio bíblico para a primazia papal. O sentido atribuído às palavras de Cristo, transformadas em atribuição aos chamados sucessores de Pedro, os bispos de Roma, está em total desacordo com todos os ensinos que Cristo transmitiu a Seus seguidores (ver Mat. 23:8-12).

Mat 23:8-12
8 “Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi; porque um só é o vosso Mestre, e todos vós sois irmãos.
9 E a ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque um só é o vosso Pai, aquele que está nos céus.
10 Nem queirais ser chamados guias; porque um só é o vosso Guia, que é o Cristo.
11 Mas o maior dentre vós há de ser vosso servo.
12 Qualquer, pois, que a si mesmo se exaltar, será humilhado; e qualquer que a si mesmo se humilhar, será exaltado.”

Talvez a melhor evidência de que Cristo não designou a Pedro como rocha sobre a qual edificar Sua igreja seja o fato de que nenhum dos que ouviram a Cristo nessa ocasião—nem mesmo Pedro—assim perceberam tais palavras, seja durante o tempo de Cristo sobre a terra ou depois. Tivesse Cristo tornado Pedro o principal entre os discípulos eles não iriam daí em diante empenhar-se em disputas sobre quem dentre eles deveria ser considerado "o maior" (Lucas 22:24; Marcos 9:33-35).

Lucas 22:24
 24  “Levantou-se também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior.”

Marcos 9:33-35
33 “Chegaram a Cafarnaum. E estando ele em casa, perguntou-lhes: Que estáveis discutindo pelo caminho?
34 Mas eles se calaram, porque pelo caminho haviam discutido entre si qual deles era o maior.
35 E ele, sentando-se, chamou os doze e lhes disse: se alguém quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o servo de todos.”

O nome Pedro deriva do grego petros, uma pedra, geralmente um pequeno seixo. A palavra rocha no grego é petra, a grande massa pétrea, um pico montanhoso ou lage maciça de pedra. Uma petra é uma rocha fixa, não removível, enquanto petros é uma pequena pedra. Em que extensão Jesus pode ter tido tal distinção em mente é difícil de determinar, mas pode-se deduzir que, ainda que estivesse falando em aramaico, onde o termo é kepha’ e tal distinção talvez inexista como no grego, não se pode excluir a possibilidade de que Cristo empregasse um sinônimo do termo aramaico com o mesmo sentido básico do que representa a terminologia em grego com suas distinções. Parece provável que Cristo desejou fazer tal distinção, do contrário Mateus, inspirado pelo Espírito Santo ao escrever em grego, não a teria feito.

Obviamente uma petros, pequena pedra, criaria um fundamento impossível para qualquer edifício, e Jesus aqui afirma que nada menos do que uma petra, ou “rocha”, seria suficiente. Este fato é tornado ainda mais seguro pelas palavras de Cristo em Mat. 7:24: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica, será comparado ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha”.

Mat. 7:24
24 “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha.”

Qualquer edifício construído sobre Pedro, petros, um ser humano errante e falho, como o registro do evangelho torna claro (ver Mateus 16:23) teria um fundamento pouco melhor do que a areia.

Mateus 16:23
23 “Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não estás pensando nas coisas que são de Deus, mas sim nas que são dos homens.”

O sentido das palavras de Cristo sobre as portas do inferno não prevalecerem sobre Sua igreja está no contexto quando Ele fala que iria ser morto mas ressuscitaria ao terceiro dia. Cristo triunfou gloriosamente sobre o poder de Satanás e por esse triunfo trouxe a garantia de que a Sua igreja sobre a terra também triunfaria (Mateus 16:21). Os versos anteriores contêm a introdução ao tema da messianidade de Cristo, pela primeira vez discutida entre os apóstolos.

Mateus 16:21
21 “Desde então começou Jesus Cristo a mostrar aos seus discípulos que era necessário que ele fosse a Jerusalém, que padecesse muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes, e dos escribas, que fosse morto, e que ao terceiro dia ressuscitasse.”

Pedro, dentro de sua característica pessoal, foi o primeiro a expressar fé nessa messianidade, assim como era geralmente o primeiro em tudo dentre os apóstolos.

Prod. Azenilto G. Brito
 
 



Professor Azenilto G. Brito
Ministério Sola Scriptura


*************************** 

Outras Opções

Se desejar se comunicar com o autor, mande um e-mail para o link em baixo:
profazenilto@hotmail.com



Clique aqui para ir para a página do Prof. Azenilto ARTES CULINARIAS

  Clique aqui para para ir para a página de Historietas-Didaticas"

Clique aqui para ver artigos sobre Os"DEBATES CATÓLICOS"

Clique aqui para ver artigos sobre as "DOUTRINAS CATÓLICAS"

 Clique aqui para ver artigos sobre  SÁBADO OU DOMINGO

 Click aqui para ver artigos sobre a "Imortalidade"

 Click aqui para ler sobre as leis dietéticas

 Click aqui para ver artigos sobre as divisões das leis

 Clique aqui para voltar aos outros artigos

 Clique aqui para ir para os Artigos Numerados

 Clique aqui para ir para a página de livros.

 Ministerio Sola Scriptura